Eleições 2020: Covas tem menos seguidores que Boulos, mas gasta o dobro nas redes

Covas gastou R$ 230 mil em posts patrocinados, enquanto Boulos, R$ 110 mil. Ambos estão no segundo turno das Eleições 2020 de SP

Aos que consideram a internet um front de batalha estão certos. Ela é mesmo tudo isso. Ela esta presente em tudo e todos, a todo momento. Nas Eleições 2020, o jogo político virtual também é um grande aliado para candidato x ou y. Na cidade de São Paulo, faltando pouco menos de quatro dias para o segundo turno, os dois candidatos Covas e Boulos tem usado a ferramenta virtual a favor para divulgar as propostas de campanha.

Covas ganhou 18.272 seguidores

Bruno Covas (PSDB) conta com 319.527 seguidores nas duas redes sociais mais usadas pelos paulistanos (Facebook e Instagram). Já Guilherme Boulos (PSOL) tem sete vezes mais em suas contas virtuais, totalizando um número superior a 2,3 milhões de adeptos.

Segundo a agência de dados Torabit, Covas aumentou apenas 4,4% o número de seguidores no Facebook e em 7,35% no Instagram. Já Boulos avançou 7,35% e 18,7% respectivamente.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

A Justiça Eleitoral também se atualizou e permitiu que os candidatos nas Eleições 2020 usassem a internet como palanque eleitoral. É permitido posts patrocinados, pagos com fundos eleitorais e divulgação da campanha.

 Gastos com Impulsionamento de Covas e Boulos

De acordo com números da Volt Data Lab, agência de dados do Movimento Transparência Partidária, o candidato à reeleição à prefeitura de São Paulo, Bruno Covas  gastou bem mais do que o adversário Guilherme Boulos  com impulsionamento nas redes sociais.

Enquanto o prefeito desembolsou R$ 230 mil com o patrocínio de postagens no Facebook e no Instagram ao longo do primeiro turno, a campanha do psolista pagou metade disso: R$ 110 mil. Contudo, os resultados foram melhores para Boulos.

O investimento nas redes tem um total de fatores por trás que dizem o seu real poder.

O especialista em marketing político e redes sociais, Marco Iten, em entrevista ao Uol, disse que o impulsionamento nas redes, durante as eleições, alavanca melhor os candidatos que já têm presença nas redes sociais há mais tempo. “O patrocínio de post não tem muita força de voto se o candidato não tem vida política em uma rede social maturada”, pontuou o especialista.

Boulos sempre foi mais popular que Covas, mesmo antes da Eleições 2020 e teve um ganho maior, de seguidores, no período que antecede o primeiro turno. Já o tucano Covas, praticamente abandonou suas redes às vésperas da eleição, retomando as postagens no decorrer da campanha.

Perfil do eleitor nas Eleições 2020

O especialista também diz que o perfil do eleitor paulistano também conta, na hora de computar a potência que a internet têm, na avaliação de candidatos políticos. Enquanto o prefeito é favorito entre quem tem mais de 60 anos (73% dos votos válidos), Boulos é mais citado entre os jovens de 16 a 24 anos (65%) – de acordo com a última pesquisa Datafolha nas Eleições 2020.

“O eleitor do Boulos usa muito mais a internet, enquanto o do Covas está em uma faixa de idade superior, com menos uso das redes, principalmente do Instagram; e é por isso que, mesmo gastando mais, Covas não teve grande aproveitamento das postagens”, finaliza o especialista.

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes