Eike Batista negocia com Eduardo Campos investir no Porto de Suape

São Paulo – O governador de Pernambuco, Eduardo Campos, reuniu-se quinta-feira passada com o empresário Eike Batista para tratar de uma série de possibilidades de investimento no estado por parte do bilionário. O Grupo EBX, controlado por Batista, congrega 12 companhias que atuam nos mais variados setores – principalmente mineração, prospecção de petróleo, infraestrutura, construção naval e logística.

São Paulo – O governador de Pernambuco, Eduardo Campos, reuniu-se quinta-feira passada com o empresário Eike Batista para tratar de uma série de possibilidades de investimento no estado por parte do bilionário. O Grupo EBX, controlado por Batista, congrega 12 companhias que atuam nos mais variados setores – principalmente mineração, prospecção de petróleo, infraestrutura, construção naval e logística. O diálogo de ambos girou em torno de possíveis novos negócios no Porto de Suape, no litoral pernambucano. – Campos e o executivo se reunirão mais uma vez na sede do Grupo EBX, no Rio de Janeiro, no próximo dia 21/11, quando haverá um encontro técnico entre as equipes do governo do estado e da holding. “A reunião foi bastante positiva”, garantiu Campos. “O Grupo EBX atua em setores considerados estratégicos dentro do projeto Suape Global, como o de petróleo, gás e offshore. Além disso, a REX (empresa de Batista focada em projetos imobiliários) estuda a ampliação dos seus negócios e Pernambuco é uma de suas alternativas”.

Mais rico do mundo

A OSX e a LLX, também companhias do Grupo EBX, acertaram acordo para a instalação de uma unidade de construção naval no Superporto de Açu, que fica em São João da Barra (RJ), informaram as companhias em comunicado. Chamada de UCN Açu, a unidade já está sendo erguida e contará com condições privilegiadas de integração logística, eficiência operacional e sinergias industriais, de acordo com a nota emitida.

“O acordo consolida entendimentos quanto à cessão onerosa, pela LLX à OSX, da área de implantação da UCN Açu”, diz o documento. No local, também será feito um canal de acesso marítimo no entorno, segundo as companhias. A LLX projeta receita anual de R$ 28 milhões, relativa à cessão onerosa da unidade, pelo prazo de 40 anos, renováveis por mais 40. “Nas demais margens do canal, a LLX irá implementar o TX2, terminal onshore composto por um canal de 6,5 km de extensão e 300 m de largura”, adianta o texto. O terminal terá 8 milhões de m² de área. A estimativa é gerar aproximadamente 14 mil empregos diretos com a implantação da UCN Açu.

Semana passada, em entrevista a uma revista semanal, Eike Batista previu que até 2015 será o homem mais rico do mundo e teceu diversas críticas a seus pares no meio empresarial brasileiro.

Você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.