Família Rockefeller: conheça a história do clã e as polêmicas mais curiosas

Descubra a história da tradicional família Rockefeller, que reuniu a sua fortuna a partir da exploração de petróleo no final do século XIX.

A família Rockefeller não é só famosa em Nova York. Pelo contrário, esse nome já foi um dos mais poderosos dos Estados Unidos e John, o patriarca da família, foi o primeiro milionário do país norte-americano, ao ponto de acumular mais de 1% da riqueza  do país.

 

História da família Rockefeller

Companhia standard oil
Imagem: reprodução / miss hits ville

 

Quem deu o pontapé na riqueza dos Rockefeller foi o senhor John D. ao comprar parte de uma refinaria de petróleo, em 1863.

Então, em 1870, John criou a Standard Oil, que viria a ser uma das maiores companhias de petróleo do mundo. A empresa cresceu com a aquisição de outras refinarias ao ponto que nos anos 1880 a Standard Oil controlaria 90% das refinarias e gasodutos norte-americanas.

Isso, aliás, seria questionado por uma lei antitruste dos anos 1890, que restringia o controle do mercado por uma empresa só. O caso dos Rockefeller é que eles não só possuíam as petrolíferas, como também tinham acordos para o transporte do combustível, sendo praticamente impossível competir com a empresa em solo americano.

Porém, a lei só durou dois anos e o império dos Rockefeller, por sua vez, não parava de crescer. No meio dos anos 1890, John D. Rockefeller, entretanto, aposentou-se das tarefas diárias da companhia. Contudo, o estrelato da família não carrega o nome de um só homem.

Seu filho, John D. Rockefeller é notório pelo dinheiro que doou a caridade. A família Rockefeller, no geral, apoiou muitos centros de conhecimento importantes no Estados Unidos, como o Museu de Arte Moderna e o The Met (Metropolitan Museum of Art). Os dois ficam em Nova Iorque.

Ademais, a família também doou dinheiro para universidades como Yale, Harvard e Columbia, além de ter criado um centro de estudos para a medicina, conhecido atualmente como Rockefeller University.

Por fim, outra menção importante vai para Nelson Rockefeller, neto de John, que foi governador de Nova Iorque e vice-presidente dos Estados Unidos no governo de Gerald Ford.

 

Polêmicas dos Rockefeler, os magnatas norte-americanos

John d. Rockefeller primeiro da família rockefeller que foi rico
John d. Rockefeller imagem: reprodução / shutterstock

 

Não é só nas vitórias da Mega-Sena que o dinheiro chama a atenção. Pelo contrário, os self-made billionaires, que são as pessoas que constroem as suas riquezas, também atraem muitos olhares.

O patriarca John foi sortudo. Ele teve uma morte tranquila aos 97 anos numa propriedade da família Rockefeller na Flórida. Entretanto, o mesmo não aconteceu com outros membros da família.

 

Mortes misteriosas

Richard Rockefeller, por exemplo, bisneto de John, faleceu numa queda de avião em 2014 que levanta suspeitas. O mesmo mistério gira em torno de outro bisneto do progenitor, Michael Rockefeller, que faleceu aos 23 anos numa viagem a Nova Guiné. A suspeita é que ele morreu na mão de canibais, porém a família nega essa versão.

Nelson Rockefeller, por sua vez, que é pai de Michael, também teve uma morte polêmica. O vice-presidente dos Estados Unidos faleceu devido a um ataque no coração, ao lado de Megan Marshack.

Ela tinha 25 anos na época e era assistente do político, além de amante, segundo os rumores. O curioso sobre esse caso é que a mulher demorou quase uma hora para pedir socorro.

 

Falso herdeiro

Por fim, outra polêmica da família Rockefeller é a do falso herdeiro. Christian Gerhartstreiter, conhecido como Fake-Feller, é um alemão que se passou por um membro do clã do petróleo nos anos 70. O estrangeiro fez seu nome como Clark Rockefeller e trabalhou no mundo das finanças, além de se casar com uma executiva sênior de uma empresa de consultoria.

O disfarce, enfim, só caiu quando Clark sequestrou sua ex-esposa e sua filha. Foi então que o FBI investigou a vida do Fake-Feller e conheceu a sua origem. Atualmente, o farsante cumpre pena de 27 anos de prisão. Porém, o tempo de cela se deve a um assassinato que Christian cometeu antes mesmo da dupla identidade.

Fonte El País Aventuras na História
Você pode gostar também