Flávio Bolsonaro é denunciado pelo MP por ‘rachadinha’; entenda o caso

Ministério Público do Rio de Janeiro denunciou nesta quarta (4) o senador Flávio Bolsonaro pelos crimes previstos na chamada “rachadinha”. Além do filho do presidente, Jair Bolsonaro, Fabricio Queiroz e outras 15 pessoas também foram denunciadas.

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) denunciou, nesta quarta-feira (4), o senador Flávio Bolsonaro por crimes de organização criminosa, lavagem de dinheiro, peculato, apropriação indébita entre 2007 e 2018 – todas causas referidas do caso “rachadinha da Alerj”.

O Ministério Público ajuizou o pedido no dia 19 de outubro junto ao Órgão Especial do TJRJ (Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro) e ontem (3), o caso foi levado ao desembargador. Além de Flávio Bolsonaro, o caso, que está decretado como segredo de justiça, traz denúncias ainda contra Fabricio Queiroz e outras 15 pessoas.

Crime consiste em repassar salário de funcionários para segurar emprego

A rachadinha é um crime que consiste no repasse de salário de funcionários ou pessoas terceirizadas do governo federal para políticos e assessores parlamentares. Normalmente, estes funcionários se sujeitam a repassar parte de seus vencimentos a quem os contrata, como forma de “segurar” sua vaga. Flávio Bolsonaro teria praticado o crime quando ainda exercia seu cargo na Assembleia do Rio de Janeiro.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Flávio Bolsonaro responde pelo crime junto a Fabricio Queiroz

O caso envolvendo o filho do presidente, Jair Bolsonaro, ganhou destaque após a prisão do até então assessor, Fabricio Queiroz, na época em que o atual senador era deputado estadual do Rio de Janeiro. A Justiça descobriu que Queiroz havia movimentado cerca de R$1,2 milhão em sua conta, considerada “atípica”, segundo relatórios.

O Ministério Público abriu procedimento investigatório criminal para apurar o caso envolvendo o funcionário de Flávio Bolsonaro – o que culminou no desaparecimento do ex-assessor de Flávio Bolsonaro.  No dia 18 de junho, contudo, Fabricio Queiroz foi achado em Atibaia (SP), em um sítio de Frederick Wassef, amigo e advogado da família Bolsonaro. Contudo, o caso aguardou a volta do judiciário para seguir com as investigações.

 

 

 

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes