Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral entrega petição com 65 mil assinatura

BRASÍLIA – As assinaturas foram coletadas pela internet por entidades ligadas ao MCCE, que também estiveram envolvidas no projeto de lei da Ficha Limpa

BRASÍLIA – O Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE) entregou nesta quarta-feira (13), ao presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), uma petição com 65 mil assinaturas pedindo que a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do Voto Aberto seja colocada em votação.

#000a

#000a#0009As assinaturas foram coletadas pela internet por entidades ligadas ao MCCE, que também estiveram envolvidas no projeto de lei de iniciativa popular que resultou na Lei da Ficha Limpa. A coleta das assinaturas foi durante 24 horas.

#000a

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

#000a#0009O diretor do MCCE, Marlon Reis, disse, após participar da entrega do documento, que mais assinaturas podem ser coletadas se for preciso. #201cNós só fizemos um teste para mostrar a popularidade desse tema na sociedade brasileira. Foi feita uma coleta relâmpago, e se houver necessidade haverá uma grande coleta de assinaturas, assim como foi feito no projeto da Lei da Ficha Limpa#201d, declarou.

#000a

#000a#0009Segundo ele, a sociedade está preocupada que o voto secreto seja usado por parlamentares para ocultar casos de corrupção. Na opinião de Reis, #201co Congresso Nacional deve agir como uma caixa de ressonância da sociedade#201d e atender ao pedido pela votação da PEC.

#000a

#000a#0009A petição exemplifica o caso de absolvição da deputada Jaqueline Roriz (PMN-DF) que aparece em uma gravação em vídeo, da Operação Caixa de Pandora,  recebendo dinheiro. Na opinião dos ativistas que coletaram as assinaturas, o voto secreto contribuiu para que Jaqueline fosse absolvida por seus pares no processo de cassação.

#000a

#000a#0009A expectativa de que a PEC do Voto Aberto fosse votada até a semana que vem, no entanto, foi frustrada pela decisão, ontem (12), dos líderes partidários do Senado de que não haverá votações no plenário da Casa no período de 18 a 22 de junho, durante a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, quando boa parte dos senadores estará participando do evento.

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes