Além da Argentina, veja em quais países o aborto é legal

Na última madrugada, o país foi o sexto da América Latina a autorizar a interrupção voluntária da gravidez até a 14° semana de gestação.

Na madrugada de quarta-feira (30), a o senado argentino aprovou o projeto de legalização do aborto até a 14° semana de gestação no país latino. Com isso, já são 67 países no mundo a permitir a interrupção da gravidez, segundo dados da ONG Center of Reproductive Rights (CRR).

Na América do Sul, além da Argentina, o aborto só é legal na Guiana, Guiana Francesa e no Uruguai. No Brasil, o procedimento é ilegal e criminalizado.

Veja o que muda após a legalização do aborto na Argentina.

Lista de países onde o aborto é legal no mundo

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

África do Sul Canadá Geórgia Maldivas Sérvia
Albânia Cazaquistão Grécia Moçambique Singapura
Alemanha China Guiana Moldova Suécia
Argentina Chipre Guiana Francesa* Mongólia Suíça
Armênia Coreia do Norte Guiné-Bissau Montenegro Tajiquistão
Austrália Croácia Holanda Nepal Turquia
Áustria Cuba Hungria Noruega Ucrânia
Azerbaijão Dinamarca Irlanda Portugal Uruguai
Belarus Eslováquia Itália Porto Rico Uzbequistão
Bélgica Eslovênia Kosovo Quirguistão Vietnã
Bósnia-Herzegovina Espanha Letônia República Tcheca
Bulgária Estados Unidos Lituânia Romênia
Cabo Verde Estônia Luxemburgo Rússia
Camboja França Macedônia do Norte São Tomé e Príncipe

 

América Latina

Os países da América Latina têm no geral algumas das legislações mais restritivas sobre aborto. Por isso, apenas alguns fazem o procedimento de forma legal.

Uruguai – o aborto em legal em todos os casos no país até a 12° semana de gestação. Em casos de estupro até a 14°. Já quando existe isco para a gestante ou má-formação do feto, o aborto pode ser feito em qualquer momento da gravidez.

Guiana Francesa – como é m território ultramarino da França, segue a legislação do país europeu, onde o aborto é permitido até a 14ª semana de gestação desde 1975.

Guiana – desde 1995 o aborto é legal na Guiana para mulheres até a 12° semana de gestação.

Cuba – O país é pioneiro nesse aspecto, em Cuba o aborto é legal desde 1965. A mulher grávida pode abortar sem restrições até a 10ª semana de gestação, sem precisar de um motivo para isso.

Porto Rico – o país que tem status de Estado Livre Associado aos Estados Unidos, segue a normativa norte-americana que estabeleceu o aborto como um direito das mulheres em 1973. Contudo,  o governo local restringiu o acesso ao aborto proibindo a realização do procedimento em hospitais públicos. Por isso apenas clínicas privadas oferecem esse serviço.

Brasil

aborto legal
Foto: Reprodução

No Brasil, existem restrições severas ao aborto. A legislação do país se assemelha com a de lugares como a Arábia Saudita.

A interrupção voluntária da gravidez figura no Código Penal brasileiro como crime contra a vida, punível com detenção de um a três anos para a mulher que aborta e um a quatro anos para a pessoa que a auxilie.

O procedimento é legal em três casos:

  • Se não há outro meio de salvar a vida da gestante
  • Se a gravidez resulta de estupro
  • Se o feto for anencefálico.
Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes