Austrália entra em recessão: país tem queda recorde do PIB após quase 30 anos

A Austrália entra em recessão pela primeira vez em quase 30 anos e registra queda recorde do PIB em 7%.

Austrália entra em recessão pela primeira vez em quase 30 anos. O país se junta a países como Estados Unidos, Grã-Bretanha e Alemanha no registro de dois trimestres consecutivos de declínio após a pandemia do coronavírus ter desestabilizado as economias mundiais.

De acordo com os números oficiais, o produto interno bruto (PIB) encolheu 7% no segundo trimestre. Além disso, o país também sofreu uma queda de 0,3% nos primeiros três meses do ano.

Quando o “país de sorte” entrou em recessão pela última vez foi em 1991.

Ao contrário da maioria dos países desenvolvidos, a Austrália escapou de uma desaceleração durante a crise financeira global de 2008. Mas, não conseguiu escapar da devastação da pandemia do covid-19.

 

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Austrália entra em recessão
Imagem: Reprodução / Markus Spiske

Austrália entra recessão após coronavírus

A Austrália entra em recessão e registra a maior queda no segundo trimestre desde o início dos registros em 1959. Em contrapartida, estima-se que essa queda só tenha sido superada por uma contração de 9,5% em 1930 durante a Grande Depressão.

De acordo com tesoureiro da Austrália, Josh Frydenberg, “Esta crise é como nenhuma outra. As contas nacionais de hoje confirmam o impacto devastador da covid-19 na economia australiana. Nosso recorde de 28 anos consecutivos de crescimento econômico agora chegou ao fim oficialmente”.

O primeiro-ministro Scott Morrison disse ao parlamento: “Este é um dia devastador para a Austrália”.

 

Economia abalada

A Austrália enfrenta mais tensões no trimestre atual com o bloqueio em Victoria, seu maior estado em população, e o fechamento das fronteiras internacionais.

O país viu mais de um milhão de pessoas perderem seus empregos desde março, com setores inteiros da economia fechados.

O governo injetou  300 bilhões de dólares australianos de estímulo com o banco central cortando as taxas para uma baixa recorde de 0,25% em março. Contudo, os últimos números podem aumentar a pressão para novas ações.

Informar Erro
Fonte Sky News

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes