Eleições na Nova Zelândia são adiadas devido à pandemia

A primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern, adiou as eleições gerais do país por um mês em meio a um aumento nos casos de coronavírus.

As eleições na Nova Zelândia estava prevista para acontecer no dia 19 de setembro, mas agora será realizada em 17 de outubro.

A primeira-ministra, Jacinda Ardern, disse nesta segunda-feira (17) que a nova data permitiria aos partidos “planejar em torno da gama de circunstâncias em que estaremos fazendo campanha”.

No início desta semana, a maior cidade do país voltou ao lockdown. 

De acordo com Ardern, “Esta decisão dá a todos os partidos tempo nas próximas nove semanas para fazer campanha e à Comissão Eleitoral tempo suficiente para garantir que as eleições possam acontecer”.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Além disso, a primeira-ministra acrescentou que “não tem absolutamente nenhuma intenção” de permitir mais atrasos na votação. 

 

eleições na Nova Zelândia
Imagem: Reprodução / Mike Clare

Eleições na Nova Zelândia adiada após pressão da oposição

O opositor, Partido Nacional, argumentou que a eleição deveria ser adiada, pois as restrições à campanha significam que Ardern teve uma vantagem injusta.

Além disso, o vice-primeiro-ministro do país, Winston Peters, também pediu o adiamento

O Partido Nacional atrasou os eventos na corrida até a eleição devido a mudanças nas restrições do número de multidões. O partido também acusou Ardern de usar o surto covid-19 para reforçar seu apoio.

 

Novo onda do coronavírus na Nova Zelândia

A primeira-ministra também estava sob pressão para adiar a votação após um ressurgimento do coronavírus em Auckland. Até domingo, havia 69 casos ativos no país.

Nove novos casos de coronavírus foram confirmados na segunda-feira, elevando o número de casos ativos ligados ao grupo de transmissão comunitária de Auckland para 58.

Inicialmente, o surto foi rastreado até os membros de uma família. Contudo, Ardern tinha dito mais tarde que o rastreamento de contágios encontrou um caso anterior envolvendo um trabalhador que adoeceu no dia 31 de julho.

Um oficial de saúde que conhecia a família disse ao jornal local que a família estava “em choque” e “um pouco envergonhada por isso ter acontecido com eles”.

O anúncio de que novos casos haviam sido descobertos chocou o país, que não registrava casos transmitidos localmente há mais de três meses.

Informar Erro
Fonte BBC

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes