Exército chinês reforçado enquanto tensões com os EUA aumentam

O exército chinês foi reforçado nesta semana em todo o Leste Asiático. A medida foi tomada em meio a uma guerra de palavras com os Estados Unidos.

Exército chinês reforçado nesta semana em todo o Leste Asiático. A medida foi tomada em meio a uma guerra de palavras com os Estados Unidos devido às atividades militares de Washington.

Além disso, as tensões tem aumentado após o anúncio da visita de Alex Azar, secretário de Saúde e Serviços Humanos dos dos EUA a Taiwan. Azar é o oficial norte-americano de mais alto escalão a visitar a ilha – que Pequim considera território chinês em décadas.

De acordo com a CNN,  o Exército de Libertação do Povo (ELP) está considerando “exercícios de fogo real” perto da ilha americana de Guam.

Pequim acelerou o ritmo de seus jogos de guerra nas últimas semanas. Ainda mais depois que os EUA enviaram dois grupos de ataque de porta-aviões em raros exercícios no Mar da China Meridional duas vezes no mês de julho.

 

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

exército chinês reforçado
Imagem: Reprodução / Alicia Steels

Exército chinês reforçado como resposta aos EUA

Segundo a CNN, “A operação do ELP é considerada uma forte resposta ao movimento dos EUA, que quebrou os resultados diplomáticos das relações China-EUA”. Ou seja, o exército chinês reforçado é uma ameaça aos Estados Unidos.

De acordo com Xu Guangyu, conselheiro sênior da Associação de Controle de Armas e Desarmamento da China, mais medidas poderão ser tomadas. “Se os EUA forem mais longe, o ELP pode tomar mais contra-medidas, incluindo exercícios de mísseis de fogo real ao leste da ilha de Taiwan e perto de Guam”, afirmou Guangyu.

Todavia o major Randy Ready, porta-voz do Comando Indo-Pacífico dos Estados Unidos no Havaí, os militares americanos “não especularão sobre exercícios hipotéticos que podem ou não ocorrer no futuro”.

 

Militares chineses planejam exercício de fogo real

A menção de possíveis exercícios ao largo de Guam, lar das importantes instalações militares dos EUA da Base da Força Aérea de Andersen e da Estação Naval de Guam, ocorre após algumas semanas agitadas para o ELP.

De acordo com do Global Times, o EPL tem exercícios de fogo real planejados para esta semana e na próxima. Esses exercícios serão ao largo de Zhoushan, uma ilha na costa leste da China ao sul de Xangai.

Segundo o relatório do Global Times, “Os exercícios de EPL acontecem em meio às atividades militares provocativas cada vez mais frequentes feitas pelos EUA”.

Em uma entrevista à Xinhua, o ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, acusou Washington de enviar 2 mil voos militares sobre o Mar da China Meridional. Isso aconteceu no primeiro semestre desse ano e daria uma taxa de quase 11  voos por dia.

O porta-voz do comando Indo-Pacífico, não confirmou a afirmação de Wang sobre o número de voos americanos. “Não houve nenhuma mudança significativa em nossas operações militares no Mar da China Meridional ou ao redor dele”, disse Ready.

Porém, Wang afirma o contrário, “Os EUA continuam aumentando e exibindo sua presença militar no Mar da China Meridional”. Essa região é uma parte da qual a China reivindica como seu território soberano e onde tem fortificado ilhas artificiais com instalações e equipamentos militares.

Informar Erro
Fonte CNN

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes