Explosão da 1ª bomba em Hiroshima completa 75 anos

Explosão da primeira bomba nuclear completa 75 anos em 6 de agosto de 2020. Foi a primeira e única vez que bombas atômicas foram usadas em uma guerra.

Há 75 anos, na manhã de 6 de agosto de 1945, um avião de guerra B-29 lançou uma nova e aterrorizante bomba em Hiroshima. A bomba nuclear destruiu a cidade, matou imediatamente 70.000 pessoas e deixou outras dezenas de milhares feridas. Três dias depois, em 9 de agosto, uma segunda bomba nuclear devastou a cidade de Nagasaki. Calcula-se que 39.000 pessoas morreram.

Em 1950, cerca de 340.000 pessoas haviam morrido por causa dos efeitos das bombas , inclusive por doenças causadas pela exposição a radiação ionizante.

Por que Hiroshima foi atacada?

O Japão estava em guerra com os Estados Unidos e seus aliados, que incluíam a Grã-Bretanha e a União Soviética – uma nação formada pela Rússia moderna e por outros países.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Os aliados então estavam vencendo a guerra e as forças japonesas haviam sido afastadas de muitos locais.

No entanto, a luta ainda era muito feroz, e soldados e civis morriam todos os dias.

Já a Alemanha se rendeu às forças aliadas em maio de 1945, mas a Segunda Guerra Mundial continuou na Ásia, enquanto os Aliados lutavam contra o Japão imperial.

Os Estados Unidos acreditavam que o lançamento de uma bomba nuclear – depois que Tóquio rejeitou um ultimato anterior pela paz – forçaria uma rápida rendição sem arriscar as baixas dos EUA no terreno.

Contudo, em 6 de agosto, os EUA lançaram a primeira bomba – codinome garotinho – em Hiroshima. O ataque foi a primeira vez que uma arma nuclear foi usada durante uma guerra.

No entanto, quando nenhuma rendição imediata veio dos japoneses, outra bomba, apelidada de “Homem Gordo”, caiu três dias depois, a cerca de 420 quilômetros ao norte sobre Nagasaki.

Assim, os números de mortos registrados são estimativas, mas acredita-se que cerca de 140.000 da população de 350.000 habitantes de Hiroshima foram mortos e que pelo menos 74.000 pessoas morreram em Nagasaki.

A experiência de guerra do Japão levou a um forte movimento pacifista no país. No aniversário anual de Hiroshima, o governo geralmente confirma seu compromisso com um mundo livre de armas nucleares.

Após a guerra, Hiroshima tentou se reinventar como uma Cidade de Paz e continua a promover o desarmamento nuclear em todo o mundo.

A bomba que mudou o mundo

  • A bomba foi apelidada de “Garotinho” e foi pensada para ter a força explosiva de 20.000 toneladas de TNT;
  • O coronel Paul Tibbets, um coronel de 30 anos de Illinois, liderou a missão de lançar a bomba atômica;
  • O Enola Gay, o avião que lançou a bomba, foi nomeado em homenagem à mãe de Col Tibbets;
  • O alvo final foi decidido menos de uma hora antes da bomba cair. Boas condições climáticas sobre Hiroshima selaram o destino da cidade;
    Na detonação, a temperatura no ponto de explosão da bomba era de vários milhões de graus;
  • A explosão gerou uma vasta onda de choque que arrasou edifícios;
  • Milhares de pessoas no chão foram mortas ou feridas instantaneamente;
  • Havia 90.000 edifícios em Hiroshima antes que a bomba fosse lançada, mas apenas 28.000 permaneceram após a explosão.

10 filmes sobre a bomba atômica e o Japão na Segunda Guerra

Por fim, para ajudar a entender esse período, listamos dez filmes sobre a Segunda Guerra Mundial, que ilustram alguns dos seus acontecimentos mais marcantes. Confira abaixo:

Foto: reprodução/Euronews
  1. Hiroshima mon Amour (Alan Resnais – 1959)
  2. Black Rain – A coragem de uma raça (Shôhei Imamura-1989)
  3. Gembaku no ko -Filhos de Hiroshima (Kaneto Shindo -1952)
  4. Rapsódia em Agosto (Akira Kurosawa – 1991)
  5. Início do Fim (Roland Joffé – 1989)
  6. Cartas de Iwo Jima (Clint Eastwood – 2006)
  7. A Conquista da Honra (Clint Eastwood – 2006)
  8. Império do Sol (Steven Spielberg – 1987)
  9. Túmulo dos Vagalumes (Isao Takahata – 1988)
  10. Furyo, Em Nome da Honra (Nagisa Ōshima – 1983)

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes