Explosões em Beirute: Emmanuel Macron viaja para o Líbano

Presidente francês se reúne com o governo libanês nesta quinta-feira (6) para organizar ajuda internacional.

As explosões em Beirute, capital do Líbano, nesta terça-feira (4) chocou a comunidade internacional.  De acordo com um último relatório emitido nesta quinta-feira (6) pelo porta-voz do ministério da saúde libanês, pelo menos 137 pessoas morreram e 5.000 ficaram feridas. Além disso, dezenas de pessoas continuam desaparecidas.

O presidente francês, Emmanuel Macron, chegou hoje a Beirute para se encontrar com autoridades libanesas. Macron é o primeiro chefe de estado a visitar o Líbano desde as explosões em Beirute

Após chegar na capital, o presidente postou em seu twitter oficial a mensagem  “O Líbano não está sozinho”.

De acordo com o Le Monde, um dos objetivos da visita de Macron é colaborar com a organização de uma ajuda internacional ao país.

 

Ruas destruídas em explosões em berirute
Imagem: reprodução / patrick baz / afp / cp

França envia ajuda após explosões em Beirute

Poucas horas depois da tragédia, o primeiro ministro libanês, Hassan Diab, lançou um “apelo urgente” a todos os países amigos e irmãos”. Prontamente alguns países como a França começaram a organizar o sistema de ajuda.

Nesse ínterim, o primeiro-ministro francês, Jean Castex, reuniu-se com os principais ministros envolvidos para “coordenar o socorro” que a França enviará para o Líbano.

Segundo o primeiro-ministro: “Três aviões partem hoje para Beirute, um deles de Marselha com equipamentos médicos para intervenção imediata, dois de Roissy (aeroporto em Paris) com 25 toneladas de material e equipamentos de segurança”.

Segundo o Le Monde, os aviões com ajuda médica chegarão ainda nesta quinta-feira na capital libanesa.

Juntamente aos equipamentos de emergência, a França também enviou uma equipe médica com quatro médicos, três enfermeiras e dois bombeiros.

Além disso, o presidente Macron também tentará mobilizar ajuda internacional imediata, a nível europeu, para o Líbano.

Outros países como Egito, Irã, Turquia, Itália e Holanda estão anunciando ajuda médica e humanitária para apoiar os libaneses. Até mesmo Israel declarou nesta terça-feira (4) que o conflito entre os países podem ser superados. Inclusive, ofereceu “ajuda humanitária e médica” ao Líbano, seu vizinho com o qual está tecnicamente em guerra.

Um funcionário da Organização Mundial de Saúde (OMS), Michael Ryan, também disse que a ONU “começou a enviar kits para traumas e cirurgias do seu depósito regional em Dubai” .

Fonte tvi24 Le Monde
Você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.