Explosões em Beirute: Emmanuel Macron viaja para o Líbano

Presidente francês se reúne com o governo libanês nesta quinta-feira (6) para organizar ajuda internacional.

As explosões em Beirute, capital do Líbano, nesta terça-feira (4) chocou a comunidade internacional.  De acordo com um último relatório emitido nesta quinta-feira (6) pelo porta-voz do ministério da saúde libanês, pelo menos 137 pessoas morreram e 5.000 ficaram feridas. Além disso, dezenas de pessoas continuam desaparecidas.

O presidente francês, Emmanuel Macron, chegou hoje a Beirute para se encontrar com autoridades libanesas. Macron é o primeiro chefe de estado a visitar o Líbano desde as explosões em Beirute

Após chegar na capital, o presidente postou em seu twitter oficial a mensagem  “O Líbano não está sozinho”.

De acordo com o Le Monde, um dos objetivos da visita de Macron é colaborar com a organização de uma ajuda internacional ao país.

 

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

ruas destruídas em explosões em berirute
Imagem: Reprodução / Patrick Baz / AFP / CP

França envia ajuda após explosões em Beirute

Poucas horas depois da tragédia, o primeiro ministro libanês, Hassan Diab, lançou um “apelo urgente” a todos os países amigos e irmãos”. Prontamente alguns países como a França começaram a organizar o sistema de ajuda.

Nesse ínterim, o primeiro-ministro francês, Jean Castex, reuniu-se com os principais ministros envolvidos para “coordenar o socorro” que a França enviará para o Líbano.

Segundo o primeiro-ministro: “Três aviões partem hoje para Beirute, um deles de Marselha com equipamentos médicos para intervenção imediata, dois de Roissy (aeroporto em Paris) com 25 toneladas de material e equipamentos de segurança”.

Segundo o Le Monde, os aviões com ajuda médica chegarão ainda nesta quinta-feira na capital libanesa.

Juntamente aos equipamentos de emergência, a França também enviou uma equipe médica com quatro médicos, três enfermeiras e dois bombeiros.

Além disso, o presidente Macron também tentará mobilizar ajuda internacional imediata, a nível europeu, para o Líbano.

Outros países como Egito, Irã, Turquia, Itália e Holanda estão anunciando ajuda médica e humanitária para apoiar os libaneses. Até mesmo Israel declarou nesta terça-feira (4) que o conflito entre os países podem ser superados. Inclusive, ofereceu “ajuda humanitária e médica” ao Líbano, seu vizinho com o qual está tecnicamente em guerra.

Um funcionário da Organização Mundial de Saúde (OMS), Michael Ryan, também disse que a ONU “começou a enviar kits para traumas e cirurgias do seu depósito regional em Dubai” .

Informar Erro
Fonte tvi24 Le Monde

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes