Pandemia aumentou as necessidades humanitárias, diz ONU

O escritório humanitário da ONU diz que as necessidades de assistência aumentaram para níveis sem precedentes este ano por causa da covid-19, projetando que 235 milhões de pessoas precisarão de ajuda em 2021.

De acordo com a ONU, a pandemia aumentou as necessidades humanitárias.

Além disso, as necessidades aumentaram para níveis sem precedentes este ano por causa da covid. Como consequência, provavelmente 235 milhões de pessoas precisarão de ajuda em 2021.

Isso ocorre como resultado da pandemia de coronavírus e dos desafios globais. Bem como os conflitos, migração forçada e o impacto do aquecimento global.

O Escritório de Coordenação de Assuntos Humanitários da ONU (OCHA) espera um aumento de 40% no número de pessoas que precisarão dessa assistência em 2021 em relação a este ano.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

De acordo com o escritório, isso é um sinal de que a dor, sofrimento e tormento trazidos pelo surto de coronavírus e outros os problemas podem piorar mesmo que as esperanças de uma vacina estejam aumentando.

“O quadro que estamos pintando este ano é a perspectiva mais sombria sobre as necessidades humanitárias que já estabelecemos. E, isso é porque a pandemia atingiu os países mais frágeis e vulneráveis ​​do planeta”, disse o chefe humanitário da ONU, Mark Lowcock, que comanda o OCHA.

“Pela primeira vez desde os anos 1990, a pobreza extrema vai aumentar e a expectativa de vida vai cair. Além disso, o número anual de mortes por HIV, tuberculose e malária deve dobrar”, disse ele. “Tememos quase o dobro do número de pessoas que passarão fome”.

 

Pandemia aumentou as necessidades humanitárias
Imagem: Reprodução / Pexels

Pandemia aumentou as necessidades humanitárias

A ONU pretende alcançar cerca de dois terços dos necessitados, com a Cruz Vermelha e outras organizações humanitárias tentando atender o resto, Lowcock explicou.

O secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, disse que os orçamentos de ajuda humanitária enfrentam agora terríveis quedas à medida que o impacto da pandemia covid-19 continua a piorar.

Além disso, a pobreza extrema aumentou pela primeira vez em mais de uma geração.

Lowcock disse que não é a pandemia, mas seu impacto econômico que está tendo o maior efeito sobre as necessidades humanitárias.

“Tudo isso atingiu as pessoas mais pobres nos países mais pobres de todos”, disse ele. “Para os mais pobres, a ressaca da pandemia será longa e difícil”.

Fonte ABC

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes