Aquecimento dos oceanos está sufocando as estrelas do mar

AS mudanças ambientais provavelmente estão esgotando o oxigênio nos oceanos, de acordo com os cientistas. Isso faz com que as estrelas do mar “se afoguem”.

O aquecimento dos oceanos está sufocando as estrelas do mar

Uma misteriosa doença debilitante foi vista em estrelas do mar em todo o mundo. De acordo com um novo estudo, ela pode ser o resultado de problemas respiratórios associados ao aquecimento dos oceanos.

Essas mudanças ambientais provavelmente estão esgotando o oxigênio nos oceanos, disseram os cientistas. Isso faz com que as estrelas do mar “se afoguem”.

A revista Frontiers in Microbiology publicou a pesquisa na quarta-feira (6), os cientistas detalharam casos que são conhecidos como síndrome de perda de estrelas do mar. 

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

A doença, que faz com que o tecido da criatura se decomponha e eventualmente se fragmente, pode desencadear a morte em massa. Surtos registrados nos últimos sete anos ameaçaram até mesmo algumas espécies de extinção.

Agora, os cientistas podem finalmente saber qual é a culpa: o aquecimento dos oceanos aumenta a matéria orgânica e as bactérias que sugam o oxigênio desses habitats aquáticos. 

Assim, os ambientes de baixo oxigênio estão impedindo as estrelas do mar de respirar adequadamente, descobriram os pesquisadores.

 

sufocando as estrelas do mar
Imagem: Reprodução / Pexels

Aquecimento das águas está sufocando as estrelas do mar

“Como humanos, respiramos, ventilamos, trazemos ar para nossos pulmões e expiramos”, disse Ian Hewson, oceanógrafo biológico da Universidade Cornell e um dos autores do novo estudo. 

“As estrelas do mar difundem oxigênio sobre sua superfície externa por meio de pequenas estruturas chamadas pápulas, ou brânquias cutâneas. Se não houver oxigênio suficiente ao redor das pápulas, a estrela do mar não consegue respirar”, acrescentou.

Hewson e seus colegas descobriram que as condições de aquecimento podem levar a concentrações mais altas que o normal de material orgânico no oceano, o que por sua vez permite que um tipo de bactéria chamada copiotrófica se desenvolva. Esses microrganismos se alimentam de carbono e, à medida que consomem matéria orgânica, esgotam o oxigênio da água.

Quando as estrelas do mar nesses ambientes não conseguem oxigênio suficiente, elas passam por dificuldades respiratória e começam a desenvolver as lesões características da síndrome da perda das estrelas do mar, de acordo com o estudo.

Dessa forma, “é uma cascata de problemas que começa com mudanças no ambiente”, disse Hewson.

Bem como acrescentou que mais pesquisas são necessárias para entender melhor as condições ecológicas que contribuem para a síndrome da destruição das estrelas do mar. Além disso, os estudos poderão incluir a expansão de estudos para examinar os efeitos dominó mais amplos.

Informar Erro
Fonte NBC

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes