Agricultura: novo ministro quer os defensivos mais baratos

Brasília – A redução dos preços dos defensivos agrícolas, com a regularização da venda de produtos genéricos, a adoção de novas medidas para apoiar o agronegócio, além da aprovação do Código Florestal, está entre as prioridades do futuro ministro da Agricultura, o deputado Mendes Ribeiro Filho.

Brasília – A redução dos preços dos defensivos agrícolas, com a regularização da venda de produtos genéricos, a adoção de novas medidas para apoiar o agronegócio, além da aprovação do Código Florestal, está entre as prioridades do futuro ministro da Agricultura, o deputado Mendes Ribeiro Filho. “Tenho de fazer uma força muito grande como ministro para ser um facilitador entre a sociedade e o governo”, disse.

Ribeiro Filho adiantou que é a favor de liberação de defensivos agrícolas genéticos para reduzir os custos de produção. “Por que o preço do defensivo fora [do País] é um e dentro é outro? Existem coisas que temos de afinar o discurso, mostrar as dificuldades que o governo tem para fazer aquilo que tem que ser feito”, analisou.

Leia também

Lotofácil, Quina e Lotomania: resultados das Loterias da…

BBB21: veja fotos do apartamento onde Sarah morou em Los…

Questionado sobre sua ligação com a atividade rural, já que sempre teve atuação parlamentar mais voltada para outros temas, Ribeiro Filho disse que “não é porque não sou um homem do campo que não possa compreender e entender e saber sobre agricultura”. “Sou de um estado agrícola e o conheço de uma ponta a outra. Vou fazer um esforço muito grande para estar do lado de quem sabe e fazer aquilo que a agricultura precisa”, disse.

O ministro adiantou também que se reunirá com os ex-ministros da Agricultura Vinícius Pratini de Moraes e Francisco Turra na próxima semana. A exemplo do deputado, eles também são gaúchos. O futuro ministro informou que ainda não conseguiu conversar com o seu antecessor, Wagner Rossi, mas pretende falar com ele nos próximos dias.

Mendes Ribeiro Filho faleceu em 10/05/2015 em decorrência de um tumor no cérebro que havia sido diagnosticado em 2007. Ele deixou o ministério da Agricultura em 2013 para tratar de sua saúde e cuidar de dificuldades motoras que estavam incapacitando-o de manter uma vida pública à frente de um órgão ministerial.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes