Parque na zona oeste terá 1,3 milhão de m² de mata atlântica

SÃO PAULO – O governador Geraldo Alckmin e os secretários do Meio Ambiente, Bruno Covas, e da Habitação, Silvio Torres, participaram, na sexta-feira, da cerimônia para implantação do Parque Urbano de Conservação Ambiental e Lazer da Fazenda Tizo (Terras Institucionais da Zona Oeste). O parque Tizo é voltado à preservação da floresta, pesquisa, sustentabilidade e educação ambiental. Com 1,3 milhão m² de remanescentes da Mata Atlântica, tem áreas em São Paulo, Osasco e Cotia e está bem próximo de Embu e Taboão da Serra, integrando a Reserva da Biosfera do Cinturão Verde de São Paulo. Abriga também espécies de fauna e flora ameaçadas de extinção. – Na ocasião, o governador assinou documento para a contratação das obras e fez o plantio de uma muda nativa, Jequitibá-rosa, simbolizando o início das ações. O projeto executivo foi elaborado pela CDHU, que será responsável pela licitação e execução das obras. – “Será uma área de uso comum da população, de lazer, de contato com a natureza. Não tenho dúvida de que será um point aqui da Região Metropolitana de São Paulo. À beira do Rodoanel, uma área muito bonita, preservada, de educação e de convívio, aqui da comunidade”, descreveu o governador. A área pertence à CDHU e, após as obras, será transferida para a Secretaria do Meio Ambiente, que administrará o Parque. – Para o secretário Bruno Covas, nos dias de hoje é vital para áreas urbanizadas a presença de remanescentes florestais, pois a vegetação colabora com a melhoria do ar, enquanto a proteção aos mananciais proporciona boa qualidade da água. “Além da clara melhoria na vida das pessoas e do valor de sua paisagem rara, o Parque Tizo deve proporcionar à comunidade um local de lazer e recreação, bem como ser um laboratório vivo de pesquisas e palco para projetos de Educação Ambiental, pois é promovendo a visita às áreas verdes e o contato com a natureza que se espera despertar na população a consciência de proteção e preservação, tanto aqui quanto no resto do planeta”, afirmou. – Segundo o secretário Silvio Torres, além de beneficiar a população local, o parque será mais um exemplo das ações de conservação ambiental promovidas pelo Estado. “Isso, além de criar mais um espaço de lazer para a população, como na Serra do Mar, em Cubatão

SÃO PAULO – O governador Geraldo Alckmin e os secretários do Meio Ambiente, Bruno Covas, e da Habitação, Silvio Torres, participaram, na sexta-feira, da cerimônia para implantação do Parque Urbano de Conservação Ambiental e Lazer da Fazenda Tizo (Terras Institucionais da Zona Oeste). O parque Tizo é voltado à preservação da floresta, pesquisa, sustentabilidade e educação ambiental. Com 1,3 milhão m² de remanescentes da Mata Atlântica, tem áreas em São Paulo, Osasco e Cotia e está bem próximo de Embu e Taboão da Serra, integrando a Reserva da Biosfera do Cinturão Verde de São Paulo. Abriga também espécies de fauna e flora ameaçadas de extinção.

Na ocasião, o governador assinou documento para a contratação das obras e fez o plantio de uma muda nativa, Jequitibá-rosa, simbolizando o início das ações. O projeto executivo foi elaborado pela CDHU, que será responsável pela licitação e execução das obras.

“Será uma área de uso comum da população, de lazer, de contato com a natureza. Não tenho dúvida de que será um point aqui da Região Metropolitana de São Paulo. À beira do Rodoanel, uma área muito bonita, preservada, de educação e de convívio, aqui da comunidade”, descreveu o governador. A área pertence à CDHU e, após as obras, será transferida para a Secretaria do Meio Ambiente, que administrará o Parque.

Para o secretário Bruno Covas, nos dias de hoje é vital para áreas urbanizadas a presença de remanescentes florestais, pois a vegetação colabora com a melhoria do ar, enquanto a proteção aos mananciais proporciona boa qualidade da água. “Além da clara melhoria na vida das pessoas e do valor de sua paisagem rara, o Parque Tizo deve proporcionar à comunidade um local de lazer e recreação, bem como ser um laboratório vivo de pesquisas e palco para projetos de Educação Ambiental, pois é promovendo a visita às áreas verdes e o contato com a natureza que se espera despertar na população a consciência de proteção e preservação, tanto aqui quanto no resto do planeta”, afirmou.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Segundo o secretário Silvio Torres, além de beneficiar a população local, o parque será mais um exemplo das ações de conservação ambiental promovidas pelo Estado. “Isso, além de criar mais um espaço de lazer para a população, como na Serra do Mar, em Cubatão

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes