SPC: inadimplência do consumidor deve crescer 3% em 2015

BRASÍLIA – A ECONOMISTA-CHEFE DO SERVIÇO DE PROTEÇÃO AO CRÉDITO (SPC), MARCELA KAWAUTI, PREVIU NESTA TERÇA-FEIRA, 13, QUE A I

BRASÍLIA – A economista-chefe do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), Marcela Kawauti, previu nesta terça-feira, 13, que a inadimplência deve fechar 2015 com alta de 3%, patamar muito próximo ao do enceramento do ano passado, de 3,45%.

As previsões para este ano, de acordo com ela, estão mais difíceis de serem elaboradas. A economista lembrou que todos sabem que haverá um ajuste fiscal promovido pelo governo, mas ainda não se sabe o tamanho que terá e, principalmente, os reais impactos sobre a atividade e a percepção dos agentes econômicos.

Além disso, lembrou Marcela, a economia fraca, a taxa de juros elevada e a inflação, que acaba corroendo o poder de compra da população, foram a tônica de 2014 e devem continuar este ano.

De acordo com o Relatório de Mercado Focus, divulgado ontem pelo Banco Central, o Produto Interno Bruto (PIB) deve ter expansão de apenas 0,40% este ano e o IPCA deve encerrar acima do teto da meta de 6,5%, em 6,6%. Além disso, a expectativa do mercado financeiro é de que a taxa básica de juros, Selic, encerre o ano em 12,50% ao ano – atualmente, a taxa está em 11,75%.

De acordo com a economista do SPC, como ocorre em todos os anos, deverá ser observado um repique no volume de calotes nos primeiros meses de 2015. Marcela observou que a inadimplência não é contemporânea às dívidas, mas que o crescimento do calote costuma ocorrer momentos depois de uma concentração maior de datas de pagamento.

Em início de ano, além de impostos como IPVA e IPTU, pesam no bolso dos trabalhadores matrículas e material escolares e pagamento ainda de parcelas de produtos e serviços contratados durante as festas de final de ano.

Você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.