Vai ter horário de verão em 2023 no Brasil? O que podemos esperar

Durante o ano de 2021, o Brasil passou pela sua pior crise hídrica em 90 anos. Apesar de uma possível melhoria nesse cenário para o ano de 2021, muito ainda se questiona sobre se vai ter horário de verão em 2023, após ter sido abolido em 2019 pelo presidente Jair Bolsonaro (PL). 

Vai ter horário de verão em 2023?

Mesmo diante de uma crise hídrica de grande escala no ano de 2021, o Ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, continua mantendo seu posicionamento sobre o retorno do horário de verão. Durante uma entrevista ao Sistema Verdes Mares, concedida em outubro do ano passado, o político afirmou que não haverá o retorno do modelo no Brasil durante os próximos anos. Para tentar solucionar o cenário crítico, o Ministério já chegou a sugerir o racionamento voluntário de água e energia. 

A volta do horário de verão já havia sido pauta entre os empresários e o governo no ano passado, mas sem grandes avanços. No entanto, aproveitando o período de eleições, um grupo do setor tem unido forças para levar o tema à pauta eleitoral. Fábio Aguayo, diretor da CNTur, associação do setor de turismo, é um dos líderes do movimento, e já afirmou que há pretensão de levar a demanda aos candidatos a governador e à Presidência da República em breve. 

O grupo que defende a volta do horário de verão recebeu apoio de associações de bares e restaurantes. Eles argumentam que a mudança promoveria a economia de energia, permitiria estender o funcionamento de atividades ligadas ao lazer e ajudaria os negócios mais afetados pela pandemia de Covid-19. 

Além dessa mobilização, com a possibilidade de uma gestão presidencial diferente em 2023, o horário de verão pode voltar a ser uma pauta para debate e uma possível forma de solucionar a crise hídrica no país. 

Mas por que o horário de verão acabou no Brasil?

Vai ter horário de verão em 2023
Foto: antonio cruz/agência brasil

 

Em 2019, o presidente Jair Bolsonaro (PL) decretou o fim do horário de verão no Brasil. O principal argumento utilizado pelo governo foi que, do ponto de vista do setor elétrico, o modelo havia perdido sua razão de ser aplicado, já que os benefícios gerados eram pequenos, se comparados às alterações na cadeia produtiva que poderia trazer. 

O Ministério de Minas e Energia também observou que os hábitos do brasileiro mudaram, em especial com o uso de aparelhos de ar-condicionado. De acordo com a pasta, o uso desses equipamentos alterou o horário de demanda do período da noite para a manhã e a tarde, nos meses de verão.

Para que serve o horário de verão?

O horário de verão foi instituído no Brasil durante o governo de Getúlio Vargas, no ano de 1931, sendo mantido por alguns meses até o ano seguinte. Posteriormente, retornou de forma esporádica em 1932, de 1949 a 1952, em 1963 e de 1965 a 1967. Na época, o argumento era de que a prática traria grandes benefícios ao público, pelo fato de economizar luz artificial. 

No entanto, foi apenas a partir de 1985 que a medida passou a ser adotada anualmente em caráter fixo, com duração e abrangência territorial definidas por decretos do governo. Em 2008, ficou decretado que o horário de verão se tornaria algo permanente, prevalecendo do terceiro domingo de outubro até o terceiro domingo de fevereiro do ano seguinte. 

O modelo durou até abril de 2019, quando o presidente Jair Bolsonaro (PL) determinou o fim do horário de verão.

Leia também: Nova bandeira tarifária: Veja dicas para economizar

Você pode gostar também