Covid-19 em SP: UTIs voltam a ter 100% de ocupação em hospitais

Pelo menos cinco hospitais da capital e região metropolitana, registram alto índice de superlotação por Covid-19 em SP.

A capital paulista e toda Grande SP estão com 100% de ocupação nos leitos de enfermarias e nas Unidades de Terapia Intensiva – UTIs nos hospitais que tratam da Covid-19 em SP. As informações foram repassadas pelas secretarias municipais de São Paulo, Guarulhos e Embu das Artes, na região metropolitana. Pelo menos, cinco hospitais estão superlotados e ultrapassam o pico máximo da capital, em 13 de maio, auge da doença em SP.

A Santa Casa de Santo Amaro e o Hospital Municipal Vila Santa Catarina, ambos na zona sul da capital, atingiram a margem dos 100% de utilização das vagas. O hospital da Brasilândia, na zona norte, chegou a 70% de ocupação. A unidade é utilizada somente para o atendimento de pacientes com Covid-19.

Na rede municipal, o índice de ocupação de UTI era de 59% ontem (06) em hospitais da prefeitura e de 88% nas unidades privadas contratadas.

Já na rede estadual, 65% dos leitos de UTI para tratamento de Covid-19 em SP estavam em utilização na terça (05). As taxas para a região metropolitana estão acima de 60% desde o dia 2 de dezembro. Em todo estado, o índice chegou a 62,3% de ocupação.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Nesta semana em Guarulhos, por exemplo, duas unidades atingiram 100% de ocupação de UTI: o Complexo Hospitalar Padre Bento e Hospital Geral. O Hospital Municipal de Urgências chegou a 100% de utilização dos leitos na enfermaria. Em Osasco, o índice chegou a 56,1%.

Covid-19 em SP (ABC Paulista)

Os dois hospitais do ABC paulista que foram reservados para atender exclusivamente casos de Covid-19,  têm números elevados: 94,7% no Hospital Anchieta e 82,5% no Hospital de Urgência, ambos em São Bernardo do Campo.

Em Santo André, a prefeitura ainda mantém duas estruturas emergenciais, chamadas de hospitais de campanha. Uma está concentrada no campus da Universidade Federal do ABC – UFABC e outra no ginásio Pedro Dell’Antônia. Ambos registram taxas de ocupação na margem dos 26% e 64%, respectivamente.

Já as cidades de Diadema e São Caetano do Sul, são as únicas que apresentam taxas mais baixas na ocupação nas UTIs: 40% e 44%, segundo as prefeituras.

Colapso na saúde pública

De acordo com o consultor da Sociedade Brasileira de Infectologia, Marcelo Otsuka, os números tendem a piorar nos próximos dias, uma vez que, as contaminações ocorridas nas festas de fim de ano irão refletir com mais intensidade e podem até causar um colapso na saúde pública.

Sobre novas medidas restritivas à Covid-19 em SP, o infectologista diz que a conscientização deve vir da população. “Não adianta nada se o povo continuar entendendo que não existe risco e continuar a disseminação da doença”, disse Otsuka ao jornal Agora São Paulo.

Até o momento, o estado de São Paulo soma 47.222 mil óbitos por Covid-19, 1.486.551 casos confirmados e mais de 5 mil internados em UTIs.

Leia mais:

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes