Fim do ano em SP: Doria proíbe réveillon em bares, restaurantes e hotéis

Governador recomendou que as celebrações familiares no fim do ano em SP, não reúnam mais do que 10 pessoas e evitem a presença de idosos. Estado encontra-se na fase amarela da Covid-19

Fim do ano em SP – Depois do Carnaval, a virada do ano é uma das festividades que o brasileiro mais se entusiasma. O festejo é comemorado sempre com abraços, lágrimas de esperança e, consequentemente, aglomeração.

Só que, para este ano de 2020, onde a pandemia da Covid-19 se instalou e que o Estado de São Paulo encontra-se na fase amarela da doença, o governador de São Paulo, João Dória junto do Centro de Contingência do Coronavírus, proibiu celebrações em bares, restaurantes e hotéis paulistas no fim do ano em SP.

Durante entrevista coletiva realizada no último dia 30 de novembro, data onde o governo anunciou novas medidas protetivas da fase amarela da Covid-19 em São Paulo, Dória recomendou que as festas familiares sejam mais restritas e evitem reunir mais que dez pessoas e, se possível, evitem a presença de idosos.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Fim de ano em SP: governador proíbe festas em bares, restaurantes e hotéis paulistas
Governador recomendou que festas de família tenham até, no máximo, 10 pessoas no fim de ano em SP (Foto: Governo do Estado/Assessoria)

O governador disse ainda que ‘se necessário, usará medidas legais para impedir festas em locais públicos e particulares’. Em reunião nesta semana com prefeitos do estado, Doria determinou que festas e atividades de fim de ano que causem aglomerações sejam canceladas.

Fim de ano em SP – orientações

De acordo com José Medina, coordenador do Centro de Contingência do Coronavírus em São Paulo, o uso de máscara no fim de ano em SP é imprescindível. “O número de 10 pessoas é usado por vários países, mas se for possível evitar, é melhor, e, a orientação é incluir o uso de máscara em todos os participantes da festividade além de claro, priorizar o distanciamento uns dos outros”, disse.

Dos mais de 42 mil mortos por coronavírus no estado de São Paulo, 89% têm idade acima de 50 anos. Já a taxa de letalidade de pacientes com mais de 90 anos é de 40%. Por isso, todo cuidado é pouco, ainda mais no contato dos mais velhos com a população mais jovem.

Covid-19 e UTIs

O secretário estadual de saúde Jean Gorinchteyn informou que, até ontem (03), o nível de ocupação de UTIs da Grande São Paulo é de 53,7%, enquanto em todo o estado a taxa é de 60,7%. A orientação é para que os encontros de fim de ano em SP não se prolonguem por muitas horas e, durante a refeição.

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes