Idosos entre 60 e 64 anos tem até fevereiro para transporte gratuito em SP

Adiamento aconteceu para que as pessoas com idades entre 60 e 64 anos possam trocar seus Bilhetes Únicos Especiais por comuns

Em dezembro, o governador de São Paulo João Dória (PSDB) e o prefeito da capital Bruno Covas (PSDB) decidiram fim do transporte público gratuito ao idoso, pessoas com idade entre 60 e 65 anos. A mudança deve ocorrer a partir do dia 1.º de janeiro, mas decisão foi teve adiamento e passa a valer a partir de 1º de fevereiro.

Adiamento

Assim, após a data, somente pessoas com 65 anos ou mais poderão usar sem pagar ônibus, metrô e CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), como previsto no Estatuto do Idoso.

O adiamento aconteceu para que as pessoas com idades entre 60 e 64 anos possam trocar seus Bilhetes Únicos Especiais por comuns. Segundo a nota, “este período de transição foi estabelecido para levar ao conhecimento e adaptação dos cidadãos”.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Revogação do transporte gratuito ao idoso

Pessoas com mais de 65 anos ainda terão o benefício, assegurado pelo Estatuto do Idoso. A gratuidade para os idosos entre 60 e 64 anos se iniciou em 2013 no estado de São Paulo, após os protestos contra o aumento da tarifa, na gestão de Geraldo Alckmin (PSDB) e Fernando Haddad (PT). Por isso, para retirar esse beneficio, a gestão Covas revogou a lei 15.912.

No caso do governo do Estado, Doria editou no Diário Oficial, um decreto que suspendeu a regulamentação da lei estadual que estabelecia o benefício. A decisão teve o aval da Câmara Municipal dos Vereadores.

Em nota conjunta, então, a prefeitura e o estado de São Paulo disseram que:

“Para acompanhar o Estatuto do Idoso, será mantida a gratuidade nas passagens dos ônibus municipais e intermunicipais (EMTU), Metrô e CPTM para as pessoas acima de 65 anos de idade. A mudança na gratuidade acompanha a revisão gradual das políticas voltadas a esta população, a exemplo da ampliação da aposentadoria compulsória no serviço público, que passou de 70 para 75 anos, a instituição no Estatuto do Idoso de uma categoria especial de idosos, acima de 80 anos, e a recente Reforma Previdenciária, que além de ampliar o tempo de contribuição fixou idade mínima de 65 anos para aposentadoria para homens e 62 anos para mulheres”, afirma a nota.

O projeto de lei do Orçamento da capital, votado nesta quarta-feira, prevê uma redução de 7,4% nos gastos da Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes, de R$ 3,4 bilhões para R$ 3,2 bilhões.

 

Leia também:

Bolsonaro diz ser capaz de votar em Lula, mas não em Doria

Lula, Dilma e FHC: quem aceitou o convite de Doria para tomar vacina?

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes