Veja o abre fecha na volta à Fase Vermelha em SP no dia 1 de janeiro

De sexta a domingo todo o Estado de São Paulo estará na Fase Vermelha. Nesse período só serviços essenciais podem funcionar. Confira.

A partir desta sexta-feira (1°) o Estado de São Paulo volta à Fase Vermelha da pandemia da Covid-19, que é, dentro do Plano SP, a medida mais restrita ao contágio e disseminação do novo coronavírus.

A Fase Vermelha irá funcionar até domingo (3) e só poderão abrir, serviços considerados essenciais à população paulista.

Veja o que abre durante a Fase Vermelha em SP:

  • Mercados e supermercados
  • Padarias
  • Farmácias
  • Postos de Combustíveis
  • Lavanderias
  • Serviços de Hotelaria

Os restaurantes e lanchonetes só poderão funcionar no sistema delivery.

O que fecha nesse período:

  • Comércio a céu aberto
  • Shopping centers
  • Bares, restaurantes e lanchonetes
  • Parques
  • Academias
  • Salões de Beleza e barbearias
  • Escritórios
  • Cinemas, Galerias de Arte e demais estabelecimentos culturais

O decreto da Fase Vermelha em todo estado foi assinado na última semana pelo governador de São Paulo, João Dória e vale para os dias que sucederam ao Natal (25 a 27 de dezembro) e sucederão ao Réveillon (1° a 3 de janeiro). No final de semana passado, o estado teve aumento no índice de isolamento, mas algumas cidades não respeitaram determinações e praias ficaram lotadas, pelo menos, 20 municípios foram notificados por não cumprirem as medidas.

A partir de segunda-feira (4), todo o estado volta à fase amarela, com exceção da região de Presidente Prudente, no extremo oeste, que está classificada na fase vermelha pelo Plano São Paulo.

Plano SP

Pensando em estratégias de prevenção à doença, o governo paulista criou o Plano São Paulo e delimitou ações de desenvolvimento da Covid-19 em SP por cores: fase verde, fase amarela e fase vermelha. Há também as fazes laranja e azul.

O novo coronavírus já registrou mais de 1 milhão de casos confirmados da doença em todo o Estado de São Paulo. Até o momento, são 46.477 mil óbitos de Covid-19.

Você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.