Veja o que abre e o que fecha na fase vermelha em São Paulo

O estado retornou hoje (25) à fase vermelha e continuará neste estágio durante os dias 26, 27 de dezembro, 1, 2 e 3 de janeiro.

A partir de hoje (25), o estado de São Paulo retorna à fase vermelha e continuará nesta fase durante os dias 26, 27 de dezembro, 1, 2 e 3 de janeiro. A decisão anunciada pelo governo no dia 22 permite que durante esse período apenas os serviços essenciais funcionem. Bares e restaurantes ficam fechados, por exemplo. A medida restritiva foi instaurada para frear a contaminação por COVID-19 nos momentos de festa de fim de ano. Confira os serviços que vão funcionar em São Paulo durante a fase vermelha.

São Paulo fase amarela
Foto: Divulgação

O que abre na fase vermelha em São Paulo

  • Hospitais
  • Clínicas de saúde
  • Farmácias;
  • Mercados;
  • Padarias;
  • Açougues;
  • Postos de combustíveis;
  • Lavanderias;
  • Meios de transporte coletivo, como ônibus, trens e metrô;
  • Transportadoras, oficinas de veículos
  • Atividades religiosas, com distanciamento social
  • Hotéis, pousadas e outros serviços de hotelaria.
  • Bancos
  • Pet shops

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

O que não abre na fase vermelha em São Paulo

  • Shopping centers, galerias e estabelecimentos congêneres
  • Comércio
  • Serviços em geral
  • Bares, restaurantes e similares
  • Salões de beleza e barbearias
  • Academias e centros de ginástica
  • Eventos, convenções e atividades culturais, como cinemas e teatros
  • Concessionárias

Litoral de SP

As cidades do litoral de São Paulo decidiram que vão se manter na fase amarela. A decisão vai contra o decreto do governo do estado, que informou que todos os municípios deveriam regressar à fase vermelha nos dias 25,26 e 27 de dezembro e 1,2 e 3 de janeiro. O prefeito de Santos afirmou que não podem fechar os comércios, pois afetaria muito a economia dos municípios. Contudo, as praias da Baixada serão fechadas dia 31 de dezembro e 1 de janeiro, data em que mais pessoas vão à orla. Ônibus e vans turísticos também estão proibidos de entrar nas cidades.

Além disso, a tradicional queima de fogos na virada de ano da avenida Paulista foi cancelada. Os shows e atrações também foram cancelados.

Aumento de casos

O estado de São Paulo vem registrando uma alta de casos de COVID-19 no final do ano. Nas últimas quatro semanas, houve um salto de 54% do número de casos e de 34% nos óbitos. O isolamento social vem caindo também.

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes