Casa Verde e Amarela: saiba como vai funcionar o novo programa habitacional

O novo programa habitacional faz parte do Pró-Brasil, articulado por Paulo Guedes, e contará com a redução de meio ponto percentual da remuneração do FGTS.

O Casa Verde Amarela é o programa que vai substituir o Minha Casa Minha Vida, criado em 2009. O novo programa habitacional do Governo terá fundos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e incluirá cerca de 1 milhão de famílias nos financiamentos.

Entenda a diferença entre os programas habitacionais e o motivo para a substituição do Minha Casa, Minha Vida.

 

Programa Casa Verde e Amarela

De acordo com o Ministério de Desenvolvimento Regional (MDR), o novo programa habitacional faz parte do Pró-Brasil, articulado por Paulo Guedes, e contará com aredução de meio ponto percentual da remuneração do FGTS. Ele deve ser lançado em 25 de agosto de 2020.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Sobre isso, o Ministro do MDR, Rogério Marinho afirmou que “estamos utilizando a própria gestão do fundo de garantias para diminuir a remuneração do fundo, porque nesse momento o fundo está pagando 5% [ao ano] contra uma taxa Selic de 2%. Não estamos reduzindo nada substancialmente, vai ser meio por cento, mais ou menos”. Em reunião com o Ministro da Economia, Paulo Guedes, na semana passada.

O programa habitacional é, principalmente, para as regiões Norte e Nordeste. Dessa forma, as demais regiões do Brasil também terão acesso, mas com condições diferentes. Além disso, melhorias habitacionais e regularizações fundiárias estão previstas no novo programa.

 

Quem terá acesso ao Casa Verde e Amarela?

Logotipo do novo programa habitacional Casa Verde e Amarela
Foto:Reprodução/Ministério do Desenvolvimento Regional

Inicialmente, o Casa Verde e Amarela prevê a ampliação do acesso aos financiamento de imóveis para famílias de baixa renda. Da mesma forma que o Minha Casa, Minha Vida. Contudo, o novo programa contará com a redução da taxa de juros.

A saber, as alíquotas de juros serão de 4,25% para o Norte e Nordeste, para pessoas que recebem até R$ 2,6 mil reais por mês. Já para as regiões Centro-Oeste, Sudeste e Sul, os financiamentos com a taxa de juros se destinará aos cidadãos com renda de até R$ 2 mil mensais.

 

Como serão os financiamentos?

Após o lançamento do Casa Verde e Amarela, há previsões de editais para a contratação do Programa. Inicialmente, cobrirá a regularização fundiária e melhorias habitacionais. Como resultado, na fase inicial do programa, cerca de 956 mil famílias serão atendidas, segundo o Ministério do Desenvolvimento Regional.

Além disso, existe a expectativa de disponibilizar R$ 25 bilhões do FGTS e R$ 500 milhões do Fundo de Desenvolvimento Social, para o Casa Verde e Amarela, ainda este ano.

 

O Minha Casa, Minha Vida vai acabar?

Ao que tudo indica, o Casa Verde e Amarela substituirá o programa Minha Casa, Minha Vida previamente. Portanto, a nova proposta habitacional acompanha outras mudanças, como o Renda Brasil, e fazem parte do plano econômico Pró-Brasil, articulado entre os ministros da Economia, Desenvolvimento Regional e Infraestrutura. Paulo Guedes, Rogério Marinho e Tarcísio Gomes de Freitas, respectivamente.

Além disso, vale ressaltar que os programas sociais, criados nos governos do PT (Partido dos Trabalhadores), são grandes marcas dos projetos políticos de Lula e Dilma Rousseff. Logo, para o governo atual, as reformulações integram tentativa de desvincular tais programas aos governos anteriores.

 

Minha Casa, Minha Vida

prédios de cinco andares enfileirados
Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

O direito à moradia está previsto no Art. 6º da Constituição Federal de 1988, e desde então um dos principais pilares para os governos brasileiros. Dessa forma, o Minha Casa, Minha Vida, criado em 2009, foi dos principais meios de financiar imóveis para pessoas de baixa renda.

Com 99% dos financiamentos concedidos pela Caixa Econômica Federal, o programa habitacional tem destino às famílias com renda mensal bruta de até R$ 7 mil por mês, em três níveis de alíquotas diferentes. Além disso, o programa tinha fim urbano e rural.

Resultados

Em dez anos de programa, o Minha Casa, Minha Vida foi a forma de financiamento de milhares de moradias em todo o Brasil. Segundo levantamento, publicado pelo portal Uol, entre maio de 2009 e julho de 2019, cerca de 4,3 milhões de unidades entregues.

Além disso, o programa financiou contratos para construção de 5,7 milhões de unidades, até o final do ano passado. Destas, cerca de 89 mil unidades foram contratadas com recursos do FGTS, para compra do primeiro imóvel.

Por fim, nos últimos anos, o Minha Casa, Minha Vida têm enfrentado dificuldades de subsídio federal, com sucessivos cortes públicos destinados ao programa habitacional.

Com informações do Ministério do Desenvolvimento Regional e portal Uol.

 

Informar Erro
Através da Congresso em Foco Uol

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes