Previdência faz Ibovespa recuar mais de 1 por cento

O Ibovespa encerrou em queda de mais de 1 por cento nesta terça-feira, pressionado pela falta de notícias sobre a reforma da Previdência, em dia também de fraqueza nas principais praças no exterior.

SÃO PAULO (Reuters) – O Ibovespa encerrou em queda de mais de 1 por cento nesta terça-feira, pressionado pela cautela dos investidores diante da falta de notícias sobre a reforma da Previdência, em dia também de fraqueza nas principais praças no exterior. Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa caiu 1,11 por cento, a 96.291,79 pontos. O giro financeiro somou 12 bilhões de reais.

Para Rafael Bevilacqua, estrategista chefe da consultoria independente de investimentos Levante, a falta de avanços sobre a Previdência fez o índice seguir a fraqueza dos mercados externos. “A falta de notícias faz o mercado reagir de forma negativa. Foi um movimento de cautela diante da tensão existente entorno do andamento da proposta”, afirmou. A Comissão de Constituição de Justiça (CCJ) da Câmara se reuniu nesta terça-feira para o relator, deputado Delegado Marcelo Freitas (PSL-MG), apresentar seu parecer sobre a admissibilidade do texto que altera as regras de aposentadoria dos brasileiros. A comissão aprovou um requerimento de inversão de ordem dos trabalhos, manobra que diminui o leque de movimentos de obstrução da oposição nesta terça-feira.

No front externo, Wall Street encerrou no vermelho, em meio a temores sobre uma desaceleração econômica depois que o Fundo Monetário Internacional (FMI) reduziu estimativa para o crescimento econômico global em 2019. O recuo também foi influenciado por incertezas comerciais após o presidente norte-americano, Donald Trump, afirmar que os Estados Unidos vão impor tarifas de importação sobre 11 bilhões de dólares em produtos da União Europeia.

AçõesDESTAQUES

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

– ELETROBRAS PNB declinou 3,34 por cento, entre as principais perdas do Ibovespa, em seu menor valor de fechamento desde 8 de março, tendo de pano de fundo dúvidas sobre o cronograma da capitalização da estatal.

– PETROBRAS PN recuou 0,31 por cento e PETROBRAS ON caiu 0,89 por cento, antes de uma reunião do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) para decidir detalhes da cessão onerosa, prevista para depois do fechamento do mercado. O governo poderá publicar nesta terça-feira valor que deverá ser pago à estatal como parte da conclusão da renegociação do contrato, disse à Reuters uma fonte com conhecimento das negociações.

– VALE recuou 1,95 por cento, apesar da alta dos preços do minério de ferro na China. Nesta terça-feira, sindicatos que representam trabalhadores vítimas do rompimento da barragem da mineradora em Brumadinho (MG) disseram que vão impetrar uma ação trabalhista coletiva contra a companhia, pedindo reparações para as famílias dos mortos, bem como para os sobreviventes da tragédia.

– JBS caiu 2,03 por cento. Nesta terça-feira, a empresa de alimentos recolheu aproximadamente 19,63 mil quilos de carne nos Estados Unidos com risco de contaminação por materiais estranhos, especialmente plásticos, informou o Departamento de Agricultura e Serviços de Inspeção do país.

– ITAÚ UNIBANCO PN perdeu 0,55 por cento, enquanto BRADESCO PN declinou 0,38 por cento, contribuindo para o viés negativo do Ibovespa.

– AMBEV valorizou-se 1,96 por cento, tendo de pano de fundo expectativas do Credit Suisse de um crescimento de 7 por cento nas vendas de cerveja da empresa no Brasil no primeiro trimestre, com a receita avançando cerca de 12 por cento frente ao mesmo período do ano anterior.

Por Stefani Inouye

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes