Dívidas do Fies: governo regulamenta programa de renegociação

O governo federal publicou hoje (22) no Diário Oficial da União, regras para a renegociação de dívidas do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

O governo federal publicou hoje (22) no Diário Oficial da União, regras para a renegociação de dívidas do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

A saber, a medida estava descrita na Lei nº 14.024, de julho deste ano, que decretou a suspensão temporária das obrigações dos estudantes com o Fies durante o período de calamidade pública, causado pela pandemia da Covid-19.

Sendo assim, o Programa Especial de Regularização do Fies vale para contratos assinados até o segundo semestre de 2017, bem como para débitos vencidos e não pagos até 10 de julho 2020, na fase de amortização, ou seja, quando o estudante já finalizou o curso.

O programa passa a valer em 3 de novembro, e o estudante poderá aderir até o fim do ano, 31 de dezembro. Na prática, se adiciona um termo ao contrato de financiamento, que pode ser assinado de modo eletrônico pelas partes.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Pode-se optar pela quitação da dívida em parcela única a ser paga até 31 de dezembro. Nesse caso, haverá redução de 100% dos encargos moratórios. Outra opção é dividir em quatro parcelas semestrais até 31 de dezembro de 2022; ou ainda 24 parcelas mensais, se valendo da redução de 60% dos encargos, com o pagamento a partir de 31 de março de 2021.

Além disso, é possível dividir as dívidas do Fies em 145 ou 175 parcelas mensais. Nessas situações os descontos são de 40% e 25%, respectivamente. Ao passo que, os pagamentos devem se iniciar em janeiro de 2021.

Nota-se que, se houver prorrogação do período de calamidade pública, a parcela de janeiro ficará suspensa de modo automático.

Regras da renegociação de dívidas do Fies

Nesse sentido, as parcelas mensais não podem ser menores que R$ 200. Os descontos se referem aos encargos moratórios, sendo que as cobranças dos débitos previstos em contrato permanecem.

Caso a pessoa faça a renegociação e não efetue o pagamento de três parcelas, sejam elas consecutivas ou alternadas, ela perde o direito ao desconto.

Por fim, quem está com as dívidas do Fies em discussão judicial também pode aderir ao programa, mas deve renunciar em juízo à ação.

O que é o Fies?

Ademais, o Fies é um programa do Ministério da Educação, cujo objetivo é financiar a graduação de estudantes matriculados em faculdades particulares. Podem participar estudantes com avaliação positiva nos processos conduzidos pelo órgão.

 

Com informações da Agência Brasil.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes