Fraude no auxílio emergencial: Caixa investiga 1,3 milhão de CPFs

Lista com CPFs suspeitos de fraude no auxílio emergencial foi enviada pelo Ministério da Cidadania, para bloqueio e investigação

O Ministério da Cidadania enviou à CEF (Caixa Econômica Federal) lista com 1.303.127 número de CPFs para bloqueio e verificação detalhada de suspeita de fraude no auxílio emergencial. Segundo o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, essas contas já não estão recebendo pagamentos.

Para combater a fraude no auxílio emergencial, foi montada estratégia de combate formada pelo MPF (Ministério Público Federal), PF (Polícia Federal) e Caixa, cujo foco é “atuação de grupos criminosos”. A varredura irá levar em conta “renda, patrimônio pessoal e participação em empresas, além de indicadores de irregularidades sistêmicas”.

Em nota, o Ministério da Cidadania informa que “não é possível ainda afirmar que esses CPFs sejam considerados cancelados ou inelegíveis para receber o benefício”.

Segundo a pasta, “qualquer indício de ilegalidade, em especial na ótica criminal, é imediatamente informado à Polícia Federal e os pagamentos são suspensos”.

Fraude no auxílio emergencial

Ontem (21), o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, havia dito que “centenas de milhares” de contas haviam sido bloqueadas, depois que hackers invadiram algumas contas do Caixa Tem.

Hoje (22), em live sobre o calendário de pagamentos, Guimarães citou que a Caixa identificou problema no repasse e os dividiu em “dois grandes grupos”, que tiveram repasse bloqueado sem citar a quantidade.

Guimarães explicou apenas que desses “dois grandes grupos”, 51% das contas bloqueadas foram por suspeita de fraude no auxílio emergencial ou por já terem sido alvo da irregularidade.

O segundo grupo é formado por 49% de casos de inconsistências cadastrais, problema que pode ser sanado por novo cadastro no aplicativo. Guimarães diz que o próprio sistema do Caixa Tem mostra quem se encaixa em qual situação.

Quem está dentro dos 51% irá visualizar caixa de mensagem com a seguinte informação. “é necessário regularizar seu acesso de acordo com seu calendário de recebimento.

Guimarães disse que esse escalonamento é feito para evitar aglomerações nas agências. Na live, não foi explicado se esse percentual de fraude no auxílio emergencial está relacionado à lista de 1,3 milhão de CPFs que estão sob investigação.

Benefícios pagos

Nesta quarta-feira, a Caixa realizou cinco pagamentos diferentes do auxílio emergencial no valor de R$ 600 e de R$ 1,2 mil pra mulheres que são chefes de família.

Os aniversariantes de janeiro receberam via poupança digital as parcelas de 1 a 4, conforme data de aprovação do cadastro.

Também foi liberado o saque da 4ª parcela dos inscritos do Bolsa Familia que têm o NIS (Número de Identificação Social) terminado em 3.

Esse novo sistema de ciclos foi adotado pela Caixa, iniciado hoje até 26 de agosto. Os saques em dinheiro e transferências para outros bancos serão permitidos entre 25 de julho e 17 de setembro.

O novo calendário não altera a rotina de pagamentos para quem recebem Bolsa Família (19,2 milhões de pessoas). Os repasses seguem a ordem do dígito final do número do NIS, habitual do programa, sempre nos dez últimos dias do mês

O saque é concedido apenas para os beneficiários do Bolsa Família. Aos demais, por enquanto, a movimentação é feita pelo aplicativo Caixa Tem (Android e iOS). Isso porque, a plataforma permite pagamento de contas e boletos e compras por meio de cartão virtual.

Como denunciar fraude no auxílio emergencial?

Caso a pessoa queira denunciar caso de fraude no auxílio emergencial podem ir à agência da Caixa. Pelo site do ministério, pode ser feito pelo telefone ou pelos telefones 121 ou 0800 – 707 – 2003 ou pelo site FalaBr.

- continue lendo -

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes