IRPF 2021: saiba escolher entre declaração completa ou simplificada

Apesar de muitos terem dúvidas ao optar pela declaração completa ou simplificada, o próprio sistema da Receita Federal indica a melhor modalidade

Na declaração do Imposto de Renda, os contribuintes tem a opção de escolher entre dois modelos: o completo e o simplificado. No primeiro, a dedução é realizda a partir das despesas informadas,  já no segundo se usa o desconto padrão de 20%. Apesar de muitos terem dúvidas ao optar pela declaração completa ou simplificada, o próprio sistema da Receita Federal indica a melhor modalidade para cada contribuinte.

Nos dois casos é preciso ter atenção para informar os gastos corretamente na declaração. Além de guardar por ao menos cinco anos recibos e as notas fiscais que comprovem as despesas.

Declaração do Imposto de Renda 2021

O prazo para entrega da declaração do Imposto de Renda 2021 teve inicio no dia 1º de março e finaliza no dia 30 de abril. De modo geral, quem obteve rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 no ano passado deve declarar. O procedimento pode ser feito a partir de  programa gerador, a ser baixado  no site da Receita Federal, ou por meio da  plataforma Meu Imposto de Renda.

Como funciona a declaração simplificada?

Na declaração simplificada do Imposto de Renda, se aplica um padrão abatimento de 20% sobre todos os rendimentos tributáveis adquiridos pelo contribuinte ao longo do ano passado. Dessa forma, não se distingue quais rendimentos poderiam ou não ser descontados. Ademais, o abatimento não pode ser superior a R$ 16.754,34.

Este modelo de declaração pode ser usado por qualquer cidadão, não importando a renda total verificada em 2020. Ao passo que, a escolha por esse modelo não retira a obrigação da pessoa de declarar todos os rendimentos próprios e de seus dependentes, assim como patrimônio, aplicações financeiras, impostos descontados na fonte, recolhidos pelo carnê-leão e contribuições para a Previdência Social.

Como funciona a declaração completa?

Ao realizar a declaração completa do Imposto de Renda, o sistema da Receita Federal considera todas as opções de desconto do imposto, como é o caso de despesas com educação e saúde feitas durante o ano passado. Sendo assim, a restituição do tributo poderá ser maior ou menor que os 20% da declaração simplificada. Nota-se que é preciso informar todos os rendimentos e despesas verificados em 2020.

Como escolher entre declaração completa ou simplificada?

Para escolher entre declaração completa ou simplificada, o contribuinte deve levar em consideração o volume das deduções que diminuem o imposto a pagar ou que aumentam a restituição. Sendo assim, a decisão mais vantajosa varia de acordo com o perfil de cada pessoa.

De modo geral, a declaração simplificada é indicada para os cidadãos que têm poucos dados para deduzir, dessa forma terá garantido o abatimento de 20% sobre a base de cálculo do imposto.

Já a declaração completa pode ser uma boa alternativa para pessoas que têm variados gastos a deduzir. Como é o caso de ter filhos como dependentes, pagar escola particular, plano de saúde e fundos de previdência privada, por exemplo. Se as deduções superarem os R$ 16.754,34, que é o limite da declaração simplificada a declaração completa é mais vantajosa.

Ademais, não é preciso se preocupar muito com a escolha entre declaração completa ou simplificada. Isso porque no momento do preenchimento, o sistema indica qual é a melhor opção. Para verificar, basta consultar a seção de “Opção pela Tributação” depois de informar todos os ganhos e despesas de 2020.

Nota-se que o programa gerador da declaração é iniciado com o modelo completo por definição, no item de opção de tributação por deduções legais. Então, se recomenda que o contribuinte faça a declaração na modalidade completa, e depois mudar para a simplificada se for o caso.

O que são despesas dedutíveis?

As despesas dedutíveis do Imposto de Renda tratam-se de valores que poderão ser descontados da base de cálculo do imposto. Sendo assim, a partir delas o contribuinte terá uma diminuição do total a pagar ou um aumento da restituição.

Entre as possibilidades de dedução estão os gastos com educação, que estão limitados a R$ 3.561,50 por pessoa. Há também os gastos com saúde, que podem ser deduzidos de maneira integral, sem a imposição de um limite. Além disso, cada dependente informado pode significar a dedução de R$ 2.275,08 no tributo.

Quem precisa declarar o IR em 2021?

Além de entender como escolher entre declaração completa ou simplificada, é importante saber quem está obrigado a declarar o Imposto de Renda neste ano. Deve fazer a declaração, quem:

  • Recebeu rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2020;
  • Recebeu rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na
    fonte, cuja soma foi superior a R$ 40.000,00;
  • Obteve, em qualquer mês, ganho de capital na alienação de bens ou direitos
    sujeito à incidência do Imposto, ou realizou operações em bolsas de valores;
  • Obteve receita bruta em valor superior a R$ 142.798,50 em atividade rural em 2020;
  • Teve posse ou propriedade de bens, ou direitos, de valor total superior a R$ 300 mil até 31 de dezembro de 2020;
  • Passou à condição de residente no Brasil em qualquer mês e nessa condição encontrava-se em 31 de dezembro de 2020;
  • Optou pela isenção do Imposto sobre a Renda incidente sobre o ganho de capital auferido na venda de imóveis residenciais cujo produto da venda seja aplicado na aquisição de imóveis residenciais localizados no País, no prazo de 180 dias, contado da celebração do contrato de venda.

 

Leia também:

Aplicativo Meu Imposto de Renda: veja como declarar pelo celular

Veja como declarar Imposto de Renda de aposentado

Você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.