MEI tem até 31 de maio para entregar declaração do IR2021

Projeto aprovado no Congresso e que depende de aprovação do governo pode, no entanto, mudar data para 31 de julho

O microempreendedor individual (MEI) que faz a declaração de imposto de renda como pessoa física e também da empresa deve ficar atento porque terá de cumprir com duas obrigações até 31 de maio.

Nesse dia termina  o prazo para a entrega da Declaração do Imposto de Renda Pessoa Física (Dirf) e também para a entrega da declaração anual como pessoa jurídica, a chamada declaração do MEI.

É sabido que tem um projeto aprovado no Congresso que depende apenas de sanção do presidente Bolsonaro para entrar em vigor, prorrogando a entrega da declaração do Imposto de Renda até dia 31 de julho. Enquanto isso não acontece, e não se tem certeza de que vá acontecer, o que está valendo é a Instrução Normativa da Receita Federal que fixa o prazo final de entrega para 31 de maio.

Aprenda a fazer a declaração anual do MEI 2021

A declaração anual do Simples Nacional

Já a  Declaração Anual do Simples Nacional (DASN-Simei) é uma prestação de contas dos rendimentos recebidos pelo MEI em 2020. O  teto de faturamento anual de um microempreendedor é de R$ 81 mil, mas, independentemente do valor, é preciso apresentar a declaração. Mesmo que não tenha tido nenhum faturamento no ano-base, nesse caso, 2020.

Todos os contribuintes que fizeram inscrição no CNPJ até dezembro de 2020 precisam fazer a declaração até o fim de maio. “O atraso na entrega da declaração pode acarretar uma multa no valor mínimo de R$ 50, além de multa de 2% ao mês, podendo chegar a 20% sobre o valor total dos tributos devidos. Fora o risco de ficar impedido de emitir os boletos para o pagamento do imposto mensal (DAS)”, explica Alexandre de Carvalho, CEO da Easymei, plataforma de auxílio e gestão para MEIs.

Uma das orientações de Carvalho para o MEI, para não se ver em dificuldades ao fazer as duas declarações, é que separe dados referentes à pessoa física da jurídica. A receita da atividade da empresa deve ser segregada e incluída na contabilidade da pessoa jurídica, não se misturando com a da pessoa física. Não confundir a declaração anual da empresa (DASN-Simei) com a declaração anual da pessoa física.

MEI deve lançar receita bruta em dois campos

Outra dica importante é estar atento no momento de declarar a receita bruta total do ano. Existem, orienta Carvalho, dois campos distintos para o lançamento total da receita. Um é o originado da atividade como comércio, indústria, transportes intermunicipais e estaduais e fornecimento de refeições. Outro, originado pelos serviços prestados.

“Outro ponto importante é manter os documentos organizados mensalmente, com a guarda todos os comprovantes DAS e os relatórios mensais”, afirma Carvalho. “Esse cuidado facilitará o acesso aos documentos e às informações necessárias quando o contribuinte for preencher a declaração, a documentação referente ao ano todo.”

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes