Quem tem direito a aposentadoria integral? Saiba as regras da reforma da previdência

Com a reforma da previdência, a aposentadoria integral pode ser possível em três situações: invalidez, pessoa com deficiência e pedágio 100%

A nova Reforma da Previdência trouxe diversas mudanças para a aposentadoria. Com a mudança nas regras gerais, por exemplo, a aposentadoria por tempo de contribuição deixou de existir. Entretanto, mesmo que mais difícil, ainda é possível conseguir a aposentadoria integral em três situações.

 

O que é aposentadoria integral?

A aposentadoria integral é um benefício sob o qual não incide nenhum desconto na média mensal do segurado. Ou seja, não possui descontos, sem subtrações na média salarial. Com a reforma da previdência, receber o recurso ficou mais difícil. Todavia, ela não corresponde a 100% do último salário recebido pelo trabalhador, e sim 100% da média salarial, de acordo com o cálculo do INSS.

Anterior a mudança, as regras contavam com um tempo mínimo de 30 anos de contribuição para as mulheres e 35 para os homens. O cálculo, então, era feito sobre a base dos maiores salários de contribuição, em uma média aritmética, equivalente a 80% do período contributivo a partir de julho de 1994. Além disso, era possível aplicaro fator previdenciário que, mesmo sendo integral, poderia sofrer redução do valor da aposentadoria.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

De acordo com a nova reforma da previdência, a regra geral para a aposentadoria é de:

  • Mulheres: 62 anos de idade, com 15 de contribuição;
  • Homens: 65 anos de idade, com 20 anos de contribuição.

Se o segurado já se enquadrava em todos os requisitos anteriores a reforma da previdência, ele já possui o direito adquirido. Dessa forma, ele está autorizado com base nas normas antigas, já garantindo seu direito antes das alterações na legislação. Assim, algumas alternativas possibilitam o recebimento integral do benefício. 

 

Quem pode ter aposentadoria integral?

  1. Aposentadoria por invalidez;
  2. Aposentadoria de pessoa com deficiência;
  3. Pedágio 100% (regra de transição).

 

1. Aposentadoria por invalidez

apto de recever 100% da quantia do seguro, mesmo que seja resultado de acidente de trabalho, doenças profissionais ou do trabalho. Entretanto, se decorrer de doença incapacitante o valor da aposentadoria se baseará na regra geral.

 

2. Aposentadoria de pessoa com deficiência

Concedido tanto por tempo de contribuição quanto por idade, com a média calculada com base nas contribuições a partir de julho de 1994. Com relação à idade, então, a média fica em 70% mais 1% para cada ano trabalhado.

 

3. Pedágio 100%

A nova reforma da previdência excluiu a possibilidade de aposentadoria por tempod e contribuição. Para que os beneficiários que estavam próximos de completar a requisição possam se aposentar, foram feitas regras de transição.

Através da modalidade de pedágio 100%, é possível receber integralmente o salário completando o tempo mínimo de contribuição. Entretanto, é preciso cumprir o pedágio de 100% do tempo restante para a data da aposentadoria prévia à reforma.

  • Mulheres: 57 anos de idade e 30 anos de contribuição + pedágio de 100% do período restante para completar o tempo exigido;
  • Homens: 60 anos de idade e 35 de contribuição + pedágio de 100% do tempo restante.

 

Como é feito o cálculo da média salarial?

O valor da aposentadoria integral irá variar de acordo com o contribuinte. Ela tem base no montante da contribuição paga ao longo dos anos. O termo “integral” representa o direito a 100% do salário de benefício, que é calculado segundo a média aritmética dos salários recebidos durante a contribuição com o INSS, após julho de 1994. Não entram no cálculo os salários sob os quais não foi recolhida contribuições.

 

Como solicitar a aposentadoria integral?

O requerimento deve ser feito através da Central 135, do portal da Previdência Social na internet ou pessoalmente nas Agências da Previdência Social. Os documentos necessários são:

  • Número de Identificação do Trabalhador (NIT)
  • Documento de Identificação (Carteiras de Identidade, de Trabalho ou da Previdência)
  • CPF

Quem prestou serviço militar pode incluir o período apresentando o Certificado de Reservista.

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes