Novidades no PIX facilitam ainda mais a transferência de dinheiro. Confira

Se você já usa o PIX, o novo meio de enviar e receber dinheiro no País, saiba que o Banco Central divulgou no último dia 18 uma nova funcionalidade no sistema. Há novidades no PIX. Agora vai ser possível integrar os aplicativos do PIX oferecidos pelos bancos com a lista de seus contatos no celular.

Na prática, vai ficar mais fácil identificar quem já está cadastrado no PIX e ofereceu como chave o número de seu celular. Dessa forma, quando você quiser enviar dinheiro para a conta de um deles, bastará acessar o aplicativo do banco e inserir o número do celular do favorecido.

Em segundos, sem precisar informar banco, agência, ou outros dados, o dinheiro é creditado ao beneficiário em questão. Você recebe o aviso de quem receberá o dinheiro e para dar continuidade à operação, deve fazer uma confirmação.

Essa novidade do PIX foi trazida pela Resolução nº 79, publicada pelo BC na última quinta-feira, 18.  Mas, além dela, há mais duas trazidas pela mesma legislação.

- PUBLICIDADE -

Outra novidade no PIX é que bancos, fintechs, instituições financeiras participantes do PIX, não podem fixar limites para o número de operações realizadas. Seja de envio ou de recebimento de dinheiro. O Banco Central tomou essa decisão para que o PIX tenha condições de igualdade para competir com outros sistemas, como a TED ou o DOC, que não impõem esses limites.

E a outra está ligada à mudança de nome do usuário sem a necessidade de registrar novamente uma chave. Essa condição facilita a vida, por exemplo, de quem muda de nome com o casamento, ou de uma empresa que alterar o nome fantasia do estabelecimento.

Veja as vantagens e se cadastre no PIX

O fato é que, depois que o PIX começou a funcionar, não faz o menor sentido continuar transferindo dinheiro de uma conta para outra usando a TED ou o DOC. Senão por outros motivos, pelo simples fato de que a transferência é gratuita pelo novo sistema de pagamentos.

Mas não é só isso, a movimentação é instantânea, em até 10 segundos o dinheiro muda de dono. O sistema funciona nos sete dias da semana e por 24 horas. A qualquer hora do dia ou da noite é possível fazer um PIX para um pagamento ou uma transferência. E você poderá acessá-lo por meio de um aplicativo, do banco em que tem conta.

Para que os recursos encontrem o destino certo, basta informar a chave que o beneficiário registrou no PIX. Essa chave pode ser o número do CPF, do telefone celular ou o endereço de e-mail. Não precisa informar nem nome, nem banco, nem agência ou número de conta corrente.

É muito prático e seguro todo o processo. Antes da efetivação do envio, você receberá a informação do beneficiário. Seu nome e CPF vão aparecer na tela, do celular ou computador, e você terá de dar OK para confirmá-los e dar continuidade ao envio.

Após a conclusão da operação, um comprovante é enviado tanto para você como para quem recebeu o dinheiro. Assim, quem já tem o PIX deve incentivar seus fornecedores ou credores a aderir ao sistema de modo a ter um benefício cada vez maior na movimentação do dinheiro.

Importante lembrar que o PIX é totalmente gratuito para pessoas físicas, empresários individuais e microempresários individuais (MEIs). No entanto, poderá ser cobrado quando forem operações comerciais.

Segundo o BC, quando o correntista receber mais de 30 PIX em um mesmo mês o uso comercial é considerado a partir da 31º operação, quando então haverá cobrança.

Ou também quando o correntista usar o sistema de QR Code dinâmico para validar a operação, uma vez que ele será destinado somente a transações comerciais.

Está a critério de cada banco definir se vai cobrar e quanto vai cobrar pelas operações do PIX das empresas. Muitas instituições financeiras concederam isenção de tarifa tanto ao cliente pessoa física como jurídica.

- PUBLICIDADE -

Fraudes

Mas como nem tudo são flores, já surgiram alguns tipos de fraude envolvendo o PIX.

Como explica Ralf Germer, presidente da PagBrasil, fintech de processamento de pagamento para e-commerce, “estelionatários clonam o WhatsApp de alguém e pedem uma quantia a algum amigo ou familiar, alegando urgência. Por se tratar do mesmo número de telefone, o indivíduo não percebe que é um golpe e realiza a transferência. Na maioria das vezes, mesmo com a abertura de um Boletim de Ocorrência na polícia, não é possível identificar a origem da conta bancária nem recuperar o valor”.

Desconfie, portanto, de pedidos com urgência feitos supostamente por pessoas próximas, certifique-se com o próprio interessado se houve de fato a solicitação antes de enviar o dinheiro.

O executivo esclarece que os golpistas costumam se passar por funcionários de instituições bancárias e enviar mensagens com links falsos para cadastros de dados pessoais que são essenciais para o uso do PIX.

Assim, ele orienta para nunca clicar em links desconhecidos e suspeitos, especialmente recebidos pelo WhatsApp, SMS e outras redes sociais, e-mail. Evitar também compartilhar dados sensíveis como senhas e número de cartão de crédito. O mais indicado é ligar para o banco e pedir informações ao gerente para certificar-se se a comunicação é ou não do banco.

A cada novidade do PIX. o sistema vem ganhando novas funcionalidades, facilitando e gerando economia para quem precisa transferir dinheiro ou fazer algum pagamento.

Quanto o Pix irá cobrar das empresas? 

- PUBLICIDADE -

Pix