Preço de ovos de Páscoa tem variação de até 150%

Diferença no valor para um mesmo produto deve motivar consumidor a pesquisar, garantindo uma boa economia

Nesses dias que antecedem a Páscoa, alguns cuidados devem ser tomados pelo consumidor para não tirar o orçamento dos trilhos. Ainda que seja uma data festiva a ser comemorada com todas as restrições que se fazem necessárias para controle da pandemia, vai ser difícil passar a comemoração sem pensar em ovos ou outros produtos de chocolate.

As compras bem-sucedidas, dentro do consumo consciente, exigem um mínimo de planejamento. Saber até quanto é possível gastar, o que vai comprar, quem vai presentear, é necessário mesmo gastar com os presentes de Páscoa, são essas questões que precisam estar no radar.

Se há crianças envolvidas nos presentes, a situação fica mais delicada, mas nada que não possa ser resolvida com uma boa conversa, um esclarecimento sobre a situação difícil que estamos passando, não resolva. Trata-se de uma boa oportunidade para começar a falar sobre dinheiro com os pequenos.

Uma vez definidos os pontos básicos sobre a compra, é hora da pesquisa. Mesmo que a compra seja presencial, em supermercados, ou lojas de chocolate, uma boa pesquisa pela internet permite ter uma boa noção de preços.

Há vários sites especializados na comparação de preços. Um deles é a plataforma de inteligência de mercado da Horus (www.ehorus.com.br). Em um levantamento feito por ela, foi possível encontrar diferenças de até 150% no mesmo produto.  A pesquisa permite fazer uma boa compra, com economias para o bolso.

Em São Paulo, o ovo de Páscoa de Chocolate ao Leite Barbie Lacta de 166 gramas era vendido no Extra por R$ 23,76, e no Madrid Supermercados, por R$ 57,99. Com o preço de um no Madrid era possível comprar dois no Extra e ainda sobrava troco.

A mesma coisa aconteceu com o ovo Bis Chocolate com Wafer na Casca Lacta, 318 gramas, vendido no Extra por R$ 29,17, e no Madrid por R$ 64,99.

Já no Rio de Janeiro, a diferença encontrada foi a maior ainda, de 150,7%, o ovo de Chocolate ao Leite Mulher Maravilha era vendido a R$ 19,90 no Carrefour e a R$ 49,90 no Superpix Supermercado.

Esses exemplos devem ser suficientes para convencer o consumidor a pesquisar os preços antes de partir para a compra.

Já no Rio de Janeiro, a variação é ainda maior, chegando aos 150,7% de aumento entre o preço praticando em um lugar e outro para o mesmo produto.

A pesquisa foi realizada entre os dias 15 e 17 de março em 56 redes de São Paulo e 58 redes do Rio de Janeiro. Na base de dados, entraram pequenos varejos, super e hipermercados e ainda os atacarejos.

Para realizar a pesquisa, a Horus analisa dados de compras reais no varejo por meio das notas ficais emitidas e com isso levantou e analisou as informações como preços, produtos, marcas, categorias, volume e presença no ponto de venda, além de dados precisos sobre o perfil e hábitos de consumo de seus compradores.

Dicas para economizar 

Especialistas em direitos do consumidor e fornecedor lembram que quanto mais perto da data mais caros ficam os ovos. No entanto, assim que passa a Páscoa, os preços tendem a despencar para evitar o encalhe de estoque de produtos que são perecíveis.

Quem quiser economizar ainda mais precisa levar em conta também que os ovos costumam custar bem mais do que uma barra de chocolate ou de uma caixa de bombons.

Mas seja qual for a escolha, vale verificar se a embalagem do chocolate está em boas condições, bem armazenada. Se for em um supermercado, o produto precisa estar longe de produtos de limpeza, de odor forte ou fontes de calor, condições que podem danificar o alimento.

Convém checar ainda se há sinais de violação do conteúdo, bem como evitar produtos amassados ou com furos na embalagem, que deve se referir claramente ao peso líquido do chocolate não devendo levar em conta o peso de brinquedos colocados dentro.

Você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.