Qual o limite do Pix no Caixa Tem para fazer transferências

Saber qual o limite do Pix no Caixa Tem pode evitar surpresas na hora de pagar as contas. Veja o valor e conheça mais funcionalidades do aplicativo

Realizar movimentações financeiras pelo celular tem se tornado cada vez mais comum entre os brasileiros. Desde outubro de 2020, data da criação do Pix, esse costume se popularizou mais ainda, devido à flexibilidade no pagamento e recebimento de dinheiro. No entanto, o limite de transferências via Pix pode variar entre cada banco. No texto abaixo, o DCI explica sobre o limite do Pix no Caixa Tem, ferramenta da Caixa Econômica Federal.

Limite do Pix no Caixa Tem em 2022

Para qualquer usuário do aplicativo, é importante ter conhecimento do limite do Pix no Caixa Tem. Para evitar surpresas na hora de fazer suas transações, saiba que o limite do Pix no Caixa Tem é de R$ 1.200,00.

Esse montante pode ser movimentado via Pix entre 6h e 20h. Caso o correntista deseje transferir valores das 20h às 6h, este valor cai para R$ 1.000,00.

Vale destacar também que a ferramenta não libera a função de transferências entre as próprias contas do usuário.

Como funciona o aplicativo Caixa Tem

O Caixa Tem é um aplicativo que atua como conta gratuita para os clientes da Caixa. É por ele que os brasileiros têm acesso a benefícios sociais do Governo Federal, como o Auxílio Emergencial, por exemplo.

Através do Caixa Tem, os usuários podem receber e enviar quantias em dinheiro, pagar boletos, receber pagamentos e transferências via Pix além de pagar nas maquininhas.

O aplicativo ainda libera a função de compras online por meio do cartão de débito virtual,  saques sem cartão e pagamento por QR Code.

Programado para abrir em sistemas Android e iOS, o Caixa Tem ainda possui tecnologia acessível para Pessoas com Deficiência (PcD). Ao todo, o aplicativo soma mais de 90 milhões de usuários cadastrados no sistema.

Como cadastrar a chave Pix no Caixa Tem

Assim como nas demais contas de bancos brasileiros, antes de realizar transações pelo Pix é necessário fazer o cadastro de uma chave no aplicativo utilizado.

Para isso, a pessoa deve acessar o App e procurar logo na tela inicial a opção “Pix”.

Na sequência, deve-se selecionar qual dado do usuário servirá como chave. As alternativas são:

  • Número do telefone;
  • E-mail;
  • Número do CPF;

O sistema ainda possibilita a criação de uma chave aleatória, com caracteres randômicos, formados por letras e números em sequência, fornecido pelo Banco Central.

Após a escolha da chave, o usuário deve clicar em “cadastrar chaves selecionadas”. Na tela seguinte, será solicitada a senha usada no Caixa Tem.

No próximo passo, é feita, de fato, a conclusão da operação. Neste momento, o usuário deve tocar no botão “Ok, entendi” para confirmar o cadastro das chaves escolhidas.

Feitos todos os procedimentos acima, o Pix já está habilitado dentro da plataforma bancária.

O cadastramento das  chaves Pix pode ser feito 24 horas por dia pelo aplicativo, inclusive aos finais de semana e feriados.

Com menos de dois anos desde o seu lançamento, o Pix caiu no gosto dos brasileiros graças à possibilidade de processar pagamentos e transferências em até 10 segundos.

A agilidade da ferramenta proporcionou mais praticidade aos cidadãos, que passaram a transacionar suas movimentações financeiras mais facilmente pelo smartphone.

Como pagar contas pelo Caixa Tem

Agora que você já sabe como cadastrar as chaves Pix dentro do aplicativo e já descobriu o limite do Pix no Caixa Tem, é importante saber também como manusear o App quando for pagar contas e não puder usar o Pix, como em situações de instabilidade na rede, por exemplo.

De maneira geral, existem várias formas alternativas. Uma delas é através da colagem do código de barras do boleto no campo de pagamento. Outra forma é por meio da sincronização da câmera do aparelho celular com o aplicativo. Desse modo, torna-se possível fazer o escaneamento da sequência numérica do código de barras para a tela do smartphone.

Um terceiro meio utilizado para quitar as contas com o Caixa Tem é através de uso do cartão de débito virtual, inserido no aplicativo. Por meio dele, existe a possibilidade de gerar um código de proteção temporário, com expiração de poucos minutos e usá-lo para pagar.

Mas, e se o boleto gerar um QR Code? O aplicativo Caixa Tem também possibilita o pagamento. Nesse modelo, o estabelecimento recebedor deve sinalizar qual o código QR a ser escaneado para que o comprador faça a leitura.

Além dessas, continuam em funcionamento as tradicionais transferências bancárias: TED e DOC. Essas, no entanto, não conferem a mesma rapidez para a transação, podendo demorar até duas horas (no caso do TED) ou até mesmo dois dias úteis para ser finalizada (no caso de DOCs feitos aos finais de semana).

São muitas funcionalidades dentro do aplicativo Caixa Tem. Então é importante ficar ligado nas atualizações e eventuais novidades divulgadas pela Caixa Econômica Federal.

Para conferir mais informações sobre Caixa Tem, FGTS, Auxílio Brasil e outros temas financeiros, acompanhe as notícias de Economia do DCI.

Você pode gostar também