Prorrogação auxílio emergencial 2021: quem tem direito?

O auxílio emergencial será pago até outubro de 2021.

A notícia pela qual tantos brasileiros aguardavam foi confirmada oficialmente. O governo anunciou a prorrogação do auxílio emergencial 2021, que agora será pago até outubro por causa da pandemia do coronavírus.

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) editou no dia 5 de julho o decreto que prorroga por mais três meses o pagamento do auxílio emergencial.

Com isso os beneficiários vão receber mais três parcelas, ou seja, o pagamento será feito agosto, setembro e outubro respectivamente.

Inicialmente, o auxílio emergencial 2021 seria pago em quatro parcelas, começando em abril e terminando em julho. O Governo Federal vinha sinalizando há tempos que prorrogaria, e apesar do ministro da Economia Paulo Guedes já ter anunciado, ainda não havia a publicação do decreto.

O auxílio será pago até outubro, mês em que Governo Federal calcula que a maior parte da população adulta já estará vacinada contra a covid-19.

Relacionado – O que fazer se perdeu o prazo para contestar o auxílio emergencial

Qual será o valor da prorrogação do auxílio emergencial 2021?

O valor das três parcelas da prorrogação do auxílio emergencial continuará o mesmo do início do programa em 2021, quando o benefício começou a ser pago, lá em abril.

O Governo Federal não mudou o valor das parcelas nem vai abrir para novos públicos. O pagamento segue de acordo com perfil de cada família.

R$ 150,00 pessoas quem moram sozinhas
R$ 250,00 famílias compostas por mais de uma pessoa
R$ 375,00 famílias chefiadas por mulheres

Quando a Caixa vai pagar a prorrogação do auxílio emergencial? 

Apesar do anúncio por parte do presidente da república ter sido feito hoje, a Caixa ainda não divulgou o pagamento das novas parcelas que serão nos meses de agosto, setembro e outubro.

O calendário de datas segue o número final do NIS (Número de Identificação Social) para beneficiários que recebem o Bolsa Família e o mês de nascimento para o público em geral.

O que se sabe é que os pagamentos seguem sendo depositados na conta digital da Caixa, seguindo o calendário, e que os beneficiários podem movimentar o dinheiro pelo aplicativo Caixa Tem.

Quem pode receber a prorrogação do auxílio emergencial 2021?

Apesar de prorrogado, as parcelas do auxílio emergencial não vão contemplar novos públicos. Vão ter direito as três parcelas da prorrogação apenas quem já recebe o benefício desde abril.

Para receber a prorrogação é preciso que o cidadão ainda se enquadre nos critérios previstos desde o início do programa, que são:

  • Ter recebido o auxílio emergencial em 2020 (isso porque o Governo Federal utiliza os mesmos dados do ano passado);
  • Ser trabalhador informal, ou seja, não ter registro em carteira;
  • Ser beneficiário do Bolsa Família;
  • Ter mais de 18 anos (com exceção das mães adolescentes);
  • Ter renda familiar mensal de até três salários mínimos (R$ 3.300,00);
  • Ter renda familiar por pessoa de até meio salário mínimo (R$ 550,00).

Quem não pode receber o auxílio emergencial 2021?

Como o Governo Federal vem fazendo pente fino no pagamentos dos benefícios mensalmente, é importante lembrar quem não tem direito a receber o auxílio emergencial 2021. Segundo o Ministério da Cidadania, não tem direito aqueles que:

  • Trabalhador formal com carteira assinada;
  • Servidor público, estagiário ou médico residente;
  • Beneficiários de programas previdenciários ou do INSS como aposentadoria e auxílios (com exceção do Bolsa Família);
  • Quem teve rendimento tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2019;
  • Quem tem patrimônio superior a R$ 300.000,00;
  • Presidiários;
  • Brasileiros que moram fora do País

O Governo Federal vai abrir novo cadastro para o auxílio emergencial?

Não há prevista a abertura para novos cadastros do auxílio emergencial 2021. O Governo Federal trabalha com o mesmo número de beneficiados do início do pagamento das parcelas deste ano.

Segundo o Ministério da Cidadania, 39 milhões de pessoas devem continuar recebendo o benefício nestes três meses de prorrogação.

O principal motivo pelo qual o Governo Federal não vai abrir cadastro para novos públicos é porque ao finalizar o pagamento do auxílio emergencial 2021, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) vai anunciar o novo Bolsa Família.

O que é, desde sua criação no Governo Lula, sendo o maior programa social do País terá reajuste e vai pagar cerca de R$ 300,00.

Leia também: Novas datas do auxílio emergencial 2021

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes