Responsabilidade social para empresas: entenda a importância

Em épocas de crise como a atual, as ações de responsabilidade social das empresas têm ainda mais peso.

Fazer mais do que legalmente precisam para ajudar a sociedade e o meio ambiente é o que diferencia as empresas socialmente responsáveis.

Você sabe reconhecer quando uma empresa tem responsabilidade social? E sabe o quanto ser socialmente responsável pode fazer a diferença na sociedade em que uma empresa atua?

Nesta época em que enfrentamos uma crise sem igual devido à pandemia de coronavírus, tornou-se ainda mais importante falar sobre o tema.

 

O que é responsabilidade social afinal?

 

Antes de mais nada, o conceito de responsabilidade social engloba ações de empresas que atuam em prol do bem-estar de seu público interno e externo, fazendo mais pela sociedade e pelo meio ambiente do que apenas o que é obrigatório por lei.

Da mesma forma, o termo “responsabilidade social” começou a ganhar foco há quase 20 anos, quando o chamado Livro Verde foi elaborado pela Comissão das Comunidades Europeias. O livro registrou o objetivo de “promover um quadro europeu para a responsabilidade social das empresas”, assim como detalhou o que seriam essas ações. De lá para cá, o termo foi ganhando força.

Atualmente muitas empresas têm políticas de responsabilidade social para documentar estratégias a serem desenvolvidas. Entre exemplos de ações de responsabilidade social temos o recrutamento responsável com foco na diversidade e a integração com a comunidade.

Da mesma forma estão ações de redução de impactos ambientais e apoio a causas sociais.

 

Responsabilidade social
Imagem: reprodução/unsplash

Guia ensina responsabilidade em época de coronavírus

 

Atualmente, com a pandemia de coronavírus causando redução da atividade econômica e uma série de problemas relacionados, um grupo lançou um guia para empresas que querem enfrentar a crise com responsabilidade social. Fazem parte deste grupo o IBGC,  Pacto Global, Instituto Ethos, Alliance for Integrity e Transparência internacional.

Entre as muitas recomendações de responsabilidade social para empresas disponíveis no guia, destacamos:

– rever a prioridade dos projetos em andamento e os riscos que apresentam para a empresa no novo contexto, incluindo riscos sanitários e sociais oriundos da pandemia;

– considerar criar um comitê de doações, incluindo a participação da área de compliance, para monitoramento da isenção de qualquer doação realizada, seja ao poder público ou a uma entidade privada;

– ser transparente sobre todas as doações realizadas, inclusive para pesquisas, organizações não governamentais e outras.

Empresas que têm responsabilidade social

 

Algumas empresas já são conhecidas por suas politicas sólidas de responsabilidade social. É o caso da Petrobras e da Toyota, por exemplo. Frequentemente, outras empresas também se destacam. Dentre elas, o Magalu, principal ecossistema de e-commerce do país.

Primeiramente, a Magalu conta com um comitê dedicado a atuação filantrópica, que acompanha todos os projetos, doações e o apoio de colaboradores às instituições. Atualmente, as famílias controladoras da empresa anunciaram a doação de mais de R$ 20 milhões para projetos de combate à disseminação da covid-19 no Brasil.

Além disso, serão doados mais R$ 20 milhões com o objetivo de reduzir o impacto sanitário e econômico da pandemia. Os controladores  já haviam doado R$ 10 milhões em março para a aquisição de monitores cardíacos e respiradores à ONG Amigos do Bem.

“Graças ao nosso ecossistema colaborativo, temos certeza de que as doações estão sendo realizadas de acordo com a demanda de cada região, de maneira ágil e segura”, diz Carlos Renato Donzelli, diretor da holding Magazine Luiza e membro do conselho de administração do Magalu.

 

Responsabilidade social pode chegar de diversas formas

 

Outras empresas também têm realizado ações de responsabilidade social atualmente. É o caso da franquia Anjos Colchões e Sofás. A empresa vai doar 4 mil colchões a partir do segundo semestre para pessoas em situação de vulnerabilidade social.

Segundo o diretor de franquias da empresa, a iniciativa é um compromisso registrado em cartório de um aprendizado que vem há anos, dos seus avós para os seus pais: estar presente na comunidade e ajudar as pessoas.

“O que difere de antes para agora é o compromisso com a sociedade desenvolvido através de um modelo específico e com um plano de distribuição mais concreto. Como empresários, há uma preocupação constante do que podemos fazer durante a pandemia.

Entre muitas reflexões que tivemos, percebemos que poderíamos expandir nossa presença por meio dos franqueados e atuar em suas cidades, impactando com aquilo que temos, os colchões.”, explica.

Outra empresa que igualmente decidiu atuar em prol da sociedade é a GTEX Brasil, que há 47 anos atua no setor de higiene e limpeza. A empresa doou cerca de 120 toneladas, ou R$ 1 milhão, em produtos de higiene para entidades carentes.

“Selecionamos projetos com atuações próximas de nossas plantas com o objetivo de priorizar o atendimento à comunidade, de forma que isto impactasse as famílias dos nossos colaboradores. Priorizamos asilos e entidades de saúde”, afirma Talita Santos, Diretora Executiva da Gtex Brasil. 

Você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.