Ainda vai ter ‘retroativo auxílio emergencial’ para pais solteiros?

O valor a ser recebido pelos chefes de família dependerá de quantas parcelas foram pagas em 2020 e se atende aos requisitos desse pagamento

O pagamento do retroativo auxílio emergencial pais solteiros está confirmado. A liberação desse dinheiro será possível graças à Medida Provisória (MP) 1.084 que já destinou R$ 4,1 bilhões ao Ministério da Cidadania, que ficará responsável pelo repasse.

Mas ainda existem algumas dúvidas sobre como será feito esse pagamento aos beneficiários. Por isso, veja a seguir o que se sabe até agora sobre esse retroativo do auxílio emergencial. 

Vai ter retroativo auxílio emergencial para pais solteiros?

O depósito do retroativo auxílio emergencial pais solteiros ainda não tem data para começar, mas a expectativa é de que o valor seja liberado em janeiro de 2022.

O pagamento cumpre a lei 14.171, que determina o pagamento em dobro do valor do auxílio emergencial para famílias monoparentais, independentemente do sexo do chefe da casa.

Sobre o pagamento do retroativo auxílio emergencial pais solteiros, o Ministério da Cidadania informou que um ato deve ser publicado em breve detalhando quando e como será feito o repasse desse dinheiro.  

Em dezembro do ano passado, o governo federal assinou medida provisória com crédito extraordinário de R$ 4 bilhões para o Ministério da Cidadania pagar essas parcelas, após a derrubada de um veto pelo Congresso Nacional.

A medida vale apenas para as cinco primeiras parcelas do auxílio emergencial pagas em 2020. As quatro parcelas de extensão do auxílio emergencial de R$ 300, pagas de setembro a dezembro do ano passado, e as sete parcelas pagas neste ano não terão pagamentos retroativos.

Qual o valor do auxílio emergencial para 2022?

O retroativo do auxílio emergencial para pais solteiros terá até cinco parcelas do auxílio emergencial no valor de R$600, assim como aconteceu em 2020 quando as mulheres chefes de família receberam a quantia de R$1.200. 

Na época, por decisão do presidente Jair Bolsonaro os pais que estavam na mesma situação ficaram de fora do pagamento do auxílio dobrado. Mas neste ano, o Congresso Nacional reconheceu esse direito e agora, o governo precisa liberar esse retroativo auxílio emergencial pais solteiros.

Diante disso, o valor total a ser recebido por aqueles que forem considerados aptos ao pagamento pode chegar à R$3 mil. Os homens que ficaram impedidos de informar que eram chefes de família também terão o valor depositado em sua conta poupança social digital. 

A quantia final varia conforme o número de parcelas que cada um têm direito de receber. É importante ressaltar que esse benefício será depositado de uma só vez. Os cidadãos que desejarem saber o valor exato, podem fazer a consulta do retroativo auxílio emergencial pais solteiros.

Para isso, basta acessar o site da Dataprev www.consultaauxilio.cidadania.gov.br/consulta e informar os dados do representante familiar, como CPF, nome completo, data de nascimento e nome completo da mãe.

Depois, é só clicar na opção “enviar”. É importante ressaltar que esse pagamento não se estenderá às demais parcelas que também foram pagas em 2020 e à extensão do programa durante 2021, quando foram pagas mais sete parcelas desse benefício. 

Assim como nas parcelas pagas anteriormente, o saque, transferências e outras movimentação desse dinheiro deverá ser realizado por meio do Caixa Tem, visto que o dinheiro será depositado nas contas poupanças sociais digitais.  Retroativo auxílio emergencial pais solteiros

Foto: Reprodução/Agência Brasil

Quem vai receber os 600 do auxílio emergencial?

Não basta apenas ser pai solteiro para ter direito ao retroativo do auxílio emergencial em 2022. Existem critérios que precisam ser cumpridos para que haja a liberação do pagamento. Para saber se você faz parte desse grupo, confira a seguir cinco requisitos para receber o retroativo do auxílio emergencial. 

  1. ser chefe de família;
  2. responsável por pelo menos um menor de 18 anos, 
  3. não possuir cônjuge ou companheira,
  4. ter recebido a cota simples do auxílio emergencial em 2020;
  5. não ter outro membro familiar que tenha recebido a cota dupla no valor de R$ 1.200 em 2020;

O Ministério da Cidadania também informou que segue fazendo a verificação de todos os dados dos cidadãos para conferir quem, de fato, atende aos requisitos e tem o direito de receber a nova parcela em 2022. 

Você pode gostar também