Visto E2 e EB-5 para os Estados Unidos: você sabe como funcionam?

Confira como funcionam duas modalidades de visto que permitem viver e trabalhar no país.

Enquanto o visto E2 exige dupla cidadania, o visto EB-5 não a exige, mas requer investimento maior em projeto imobiliário.

Você gostaria de viver e trabalhar nos Estados Unidos, mas não sabe como funcionam algumas possibilidades de visto? Vamos explicar, começando primeiramente pelo visto E2.

O visto E2 é uma das modalidades de visto e foi criado para que cidadãos de países  com tratado de navegação e comércio com os Estados Unidos possam trabalhar e viver no país com suas famílias.

Para requisitar o visto E2 é preciso, além de dupla cidadania, o investimento entre 120 mil e 150 mil dólares, que não pode ser feito em empresas que já estejam ativas e lucrando. 

De acordo com Daniel Toledo, advogado da Toledo e Advogados Associados e consultor de negócios internacionais, o visto E2 é um visto temporário. A concessão, via de regra,  é de dois ou até cinco anos. Além disso, depende da análise da imigração. Boa parte dos países da Europa fazem parte deste tratado, com exceção de Portugal.

É importante contar com assessoria ao pedir o visto E2

 

De acordo com Toledo, o sucesso de todo o projeto relacionado ao visto E2 vai depender também do profissional que fará a assessoria para o investidor. Caso a caracterização não seja muito clara, a solicitação será negada. 

“Franquias já estruturadas e conhecidas que estejam consolidadas não podem fazer parte desta proposta, apenas as que estão iniciando suas atividades. Somente as startups que visam um novo mercado e que estão abrindo a primeira loja nos Estados Unidos atendem ao pré-requisito.”, explica.

 

Para quem não tem dupla cidadania e quer investir, há o visto EB-5

 

Como o visto E2 só serve para quem tem dupla cidadania, outra opção é o visto EB-5.  De acordo com Bruna Allemann, especialista em investimentos e imigração e diretora de investimentos da Lightstone Private Wealth, o programa é uma maneira de obter o Green Card e a residência permanente legal no país. 

Nesta opção, os investidores estrangeiros devem fazer um investimento de capital em risco em um novo projeto imobiliário com fins lucrativos nos Estados Unidos. O montante  depende muito da localização e do tipo de negócio. Atualmente, o valor está em 900 mil dólares ou 1,8 milhões, dependendo do projeto. 

“Tanto o investidor quanto o seu cônjuge e filhos solteiros menores de 21 anos não casados conquistam o direito de viver, trabalhar e estudar com todos os benefícios de um residente legal”, afirma Bruna.

Visto e-2
Imagem: reprodução / unsplash

Visto exige criação de pelo menos 10 empregos

 

Além disso, diferente do visto E2, outro pré-requisito é criar ao menos dez empregos em tempo integral, por pelo menos dois anos para cidadão americano.

“O visto EB-5 também permite estudar nos Estados Unidos. Ele facilita a entrada, por exemplo, em universidades, pois os aplicantes desta modalidade não entram nas cotas de alunos internacionais. Dependendo da faculdade, elas chegam somente a 2%”, explica Bruna. 

A especialista afirma que o principal ponto de o brasileiro procurar por este visto envolve a questão risco político e econômico do Brasil. 

Você pode gostar também