Guia do Empréstimo para MEI: saiba como e quando solicitar seu crédito

A solicitação de créditos para a empresa devem ser previamente pesquisadas e planejadas. Podem ser feitas diante da necessidade de capital de giro, quitação de dívidas ou financiamento da expansão do seu negócio. Confira mais:

0 1.292

De acordo com números do Ministério, em 2020, cerca de 10 milhões de brasileiros estão inscritos como MEI. Portanto, se você é um Microempreendedor Individual, seja novo ou de longa data, e precisa de dinheiro para investir em seu negócio, saiba que a categoria pode fazer empréstimos. Sobretudo, as linhas de crédito para MEI trazem taxas de juros mais baixas que as opções oferecidas para pessoas físicas.

Se você faz parte desse grupo e deseja obter um empréstimo financeiro, deve realizar uma prévia com as diversas opções do mercado. Assim sendo, lugares diferentes possuem uma diversidade de condições, exigências, parcelas e taxas de juros, seja escolhendo bancos, financeiras ou fintechs. Para quem possuir um CNPJ MEI pode ter acesso à vantagens que facilitam a obtenção crédito.

Além disso, é preciso ter atenção e saber como utilizar os recursos emprestados dentro do seu negócio para ter uma empresa consolidada e bem-sucedida. Por isso, o ideal é apenas solicitar após analisar que a sua empresa precisa desse valor e saber se o dinheiro será suficiente. Contratar um empréstimo significa assumir uma dívida. Dessa maneira, pesquise as opções de créditos disponíveis antes de realizá-lo para sua empresa, como as condições ofertadas pelas instituições e a condição de crédito.

 

Quando solicitar um empréstimo?

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Para saber quando ou se você precisa de um empréstimo, é preciso estar atento ao Fluxo de Caixa. Assim, você poderá avaliar as previsões de venda, as receitas, e contas a pagar, custos fixos e variáveis. Dessa forma você consegue realizar projeções e tomar a decisão. Geralmente há a solicitação caso o empreendedor precisa de crédito para capital de giro, quitação de dívidas ou financiamento da expansão dos negócios. Logo, entender a necessidade requer passos simples:

  1. Organização das finanças;
  2. Avaliar o destino do crédito;
  3. Entender os critérios de avaliação;
  4. Fazer uma previsão dos custos e recebimentos;
  5. Verificar a melhor opção de crédito para os seus propósitos.

 

Como funciona o empréstimo para MEI?

O empréstimo para MEI funciona da mesma forma que as demais modalidades de crédito disponíveis no mercado, seja para pessoa física ou jurídica. Dessa maneira, as instituições financeiras emprestam o recurso de crédito para o CNPJ MEI, que deve pagar parcelas mensais acrescidas de juros dentro do prazo acordado. Em casos de inadimplência, pode trazer juros adicionais e processos judiciais de cobrança. Em alguns casos, pode acontecer a solicitação de garantias para liberar o crédito.

Assim, o processo começa com a instituição solicitando documentos do CNPJ MEI e do sócio pessoa física. Também buscam saber se o MEI fatura o suficiente para manter o negócio ativo e pagar as prestações através da comprovação de faturamento, através da Declaração do MEI ou extratos bancários. Em suma, é necessário comprovar que o dinheiro tem como destino o benefício da empresa. Portanto, é importante se atentar e ter um CNPJ sem restrições, que facilita a obtenção do crédito fácil, e CPF limpo. Os principais requisitos das instituições financeiras são:

  • Documentos pessoais: RG, CPF e comprovante de residência;
  • CNPJ e Certificado MEI;
  • Comprovante de renda;
  • Dados da conta bancária;
  • Comprovante de endereço do estabelecimento comercial.

Para solicitação de valores altos: plano de negócio, extrato bancário, documento de fluxo de caixa e declaração do Imposto de Renda.

Imagem: Pressfoto em Freepik

Etapas do empréstimo para MEI

Quando é realizado o pedido formal para solicitar o empréstimo para MEI. Pode ser feito atravéz dos atendentes da instituição, pessoalmente ou via internet.

A lista de documentos necessários para a operação de crédito da instituição financeira escolhida é enviado. Ela pode variar conforme a instituição ou tipo de empréstimo escolhido.

Conforme a lista de documentos, eles devem ser recolhidos e entregues para a análise de crédito o mais rápido, com cópias e originais.

Através da resposta será possível saber se o empréstimo foi aprovado ou recusado. Se aprovado, o dinheiro é encaminhado na conta bancária, provavelmente, da própria instituição ou o banco informado.

 

Análise de Crédito MEI

A análise de crédito e cálculo de taxas de juros dependem das informações que você disponibiliza. A avaliação é realizada conforme a política de crédito da instituição financeira, e pode acontecer em uma e em outra não já que cada instituição possui suas próprias regras. A etapa é importante para que não hajam pendências que coloquem restrições no CNPJ ou no CPF.

O histórico do CPF do sócio da microempresa é um dos principais fatores analisados, já que um CPF problemático pode dificultar a obtenção do crédto.

 

Instituições financeiras e valores dos empréstimos

O crédito que é oferecido ao MEI para as operações variam de acordo com a instituição financeira, e quem oferece o recurso pede que se comprove que o dinheiro será usado para as atividades da empresa. Se você deseja solicitar valores mais altos, podem ser exigidas garantias. Em casos de inadimplência pelo MEI, a financeira pode executar as garantias e ficar de posse dos bens.

Por isso, é necessário simular as operações em várias instituições e comparar as taxas de juros, prazos de parcelamento e tarifas envolvidas. Provavelmente o valor do crédito e taxa de juros será definido depois da análise da documentação do MEI. Uma boa nota de crédito pode render taxas menores e prazos maiores.

Não apenas bancos oferecem esse tipo de crédito. Geralmente exige-se que o MEI seja correntista da instituição para realizar a operação, e as instituições possuem diferenças e as regras para linhas de crédito variem conforme o objetivo do microempreendedor. Veja as opções:

  • Bancos tradicionais;
  • Bancos digitais;
  • Factorings;
  • Empresas Simples de Crédito (ESC);
  • Organizações socias;
  • Fintechs;
  • Cooperativas de microcrédito.

Bancos tradicionais são os principais ofertadores de crédito, entretanto, mais exigentes. Já o empréstimo online pode exigir taxas e juros menores, já que as instituições aceitam correr mais risco e não possuem toda a estrutura de custos dos grandes bancos. Todavia, atente-se para procurar instituições financeiras regularizadas pelo Banco Central.

Empréstimo para MEI
Imagem: ijeab em Freepik

Opções de empréstimo para MEI

1. Empréstimo para Capital de Giro

Conhecida como uma das formas mais tradicionais, é muito utilizada por microempreendedores. Muitas vezes não exige garantias reais para sua concessão. É feita uma análise de capacidade de pagamento do microempreendedor que solicita.

Empréstimo parcelado e ideal para organizar as despesas. A primeira parcela, por exemplo, pode ser paga em até 90 dias dependendo da instituição, podendo o prazo chegar a 54 meses. Taxas de juros costumam ficar entre 1 a 3%, dependendo do valor solicitadi e da nota de crédito do microempreendedor.

 

2. Linha de microcrédito

Visa fomentar as atividades do microempreendedorismo, assim, o valor emprestado é inversamente proporcional ao porte da empresa. Para isso, o microempreendedor deve demonstrar os recursos que serão aplicados, a situação atual do negócio e as projeções dos resultados, ou seja, demonstrar inde os recursos serão aplicados.

Para esta opção, é preciso apresentar diferentes documentos solicitados. Entretanto, há um limite de valor disponível para emprestimo, no máximo R$ 20 mil, com um prazo de pagamento de até 6 meses.

 

3. Cheque Especial Pessoa Jurídica

O MEI pode ter acesso à cheque especial junto do banco que opera, funcionando como o convencional. Para que o crédito seja pré-aprovado e disponível para saque, são exigidas Declaração de Imposto de Renda ou Declaração Comprobatória de Percepção de Rendimentos (DECORE). Porém, esta categoria apresenta as maiores taxas de juros, ficando entre 10% a 16%.

 

4. Empréstimo com garantia de imóvel ou automóvel

Consiste em colocar um imóvel ou automóvel como garantia numa operação de crédito. Assim, ocorre o processo de transferência do imóvel ou automóvel indiretamente para a instituição financeira e serve como segurança para quem  empresta o dinheiro. Em ambos os casos, o proprietário pode continuar usando. Como apresenta garantia e a inadimplência tende a ser menor, pode apresentar taxas de juros menores.

 

5. Cartão BNDES

Pode ser usado para adquirir máquinas, insumos e matérias-primas, visando o catálogo de fornecedores recomendados pelo BNDES. O limite máximo emprestado é de 1 milhão de reais, e financiamento automático do cartão em 48 parcelas fixas. O limite depende do porte da empresa, faturamento e saúde financeira.

 

6. Empréstimo MEI Peer to Peer

Conecta pequenas e médias empresas que precisam de empréstimo a investidores dispostos a emprestar recursos. Entretanto, não há intermediação de uma instituição financeira. É feita a análise de crédito, o pagamento das parcelas é mensal e com juros.

Informar Erro

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes