Anderson Silva: os recordes e o legado de uma lenda do UFC

Ex-campeão dos pesos-médios do UFC, o brasileiro Anderson Silva faz neste sábado (31) a sua última luta no octógono mais famoso do mundo

Ex-campeão dos pesos-médios do UFC, o brasileiro Anderson Silva faz neste sábado (31) a sua última luta no octógono mais famoso do mundo. Frequentemente apontado como o melhor de todos os tempos, o Spider ainda detém alguns recordes da organização e deixa um legado indiscutível para as artes marciais mistas.

Aos 45 anos, no entanto, Anderson Silva prepara a sua despedida do UFC. Assim, a luta derradeira será contra o jamaicano Uriah Hall, de 36 anos, no UFC Fight Night: Hall x Silva. O evento está marcado para acontecer no complexo da organização, em Las Vegas, nos Estados Unidos. O combate será o quinto e último do card principal, marcado para começar às 20 horas no horário de Brasília.

Despedida?

Embora a luta contra Uriah Hall tenha sido anunciada como a última de sua carreira, Anderson Silva ainda desconversa sobre a aposentadoria definitiva. Durante a entrevista coletiva virtual com a imprensa brasileira, o lutador indicou que pode continuar lutando em outra organização de MMA ou até no boxe.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

“Talvez seja a minha última luta, talvez não”, respondeu Anderson Silva. Segundo ele, a decisão de se despedir do UFC foi tomada em comum acordo com o presidente da organização, Dana White. Mas o brasileiro deixou claro que deseja continuar lutando e afirmou que só vai definir seu futuro depois do combate contra Uriah Hall. “Tudo é possível”, avisou.

Além disso, Anderson evitou entrar no debate sobre que é o maior lutador de MMA da história. “Acho muito prematuro e meio que sem sentido isso de melhor de todos os tempos. De tempos em tempos aparece alguém bom, um talento novo fora da curva. Não existe o melhor”, avaliou o brasileiro. No entanto, basta olhar sua história para notar a inegável influência que o Spider teve entre os lutadores da nova geração.

Recordes de Anderson Silva

Anderson Silva tem 23 anos de carreira no MMA, sendo que os últimos 14 foram no UFC. Ao todo, ele soma 34 vitórias em 44 lutas, sendo 20 por nocaute e seis por finalização. Mas o retrospecto recente não é dos melhores. Afinal, o brasileiro vem de duas derrotas seguidas e, nos últimos cinco combates, venceu apenas um.

Anderson Silva comemora vitória no UFC
Zuffa LLC via Getty Images

Ainda assim, mesmo quando perde, Anderson Silva segue colecionando recordes. Veja a seguir, portanto, os feitos do Spider que nenhum outro lutador conseguiu igualar até o momento.

Maior reinado do UFC

Logo em sua segunda luta no UFC, em outubro de 2006, Anderson Silva nocauteou Rich Franklin e assumiu o cinturão da divisão até 84 kg da organização. A partir de então, ele permaneceu invicto por mais 14 lutas, até perder para Chris Weidman em julho de 2013.

Foram 2.457 dias como o campeão dos médios, o maior reinado de um campeão do UFC na história. Seu recorde de 10 defesas seguidas de cinturão só caiu em 2017, quando Demetrious Johnson superou a marca.

Maior sequência de vitórias

Entre a sua estreia no UFC e a derrota para Chris Weidman, Anderson Silva somou 16 vitórias consecutivas. Até hoje, nenhum outro lutador conseguiu igualar tamanha invencibilidade no octógono. O Spider chegou a ficar sete anos sem perder nenhuma luta, vencendo todos os oponentes que surgiram na sua frente.

Maior número de lutas principais

Quando Anderson Silva pisar no octógono para enfrentar Uriah Hall, terá somado 21 lutas principais no UFC. Nenhum outro lutador foi anunciado tantas vezes como a principal atração de um evento da organização. O segundo colocado da lista é Randy Couture, com 18 lutas principais.

O legado de Anderson Silva

Chute frontal em Vitor Belfort
Zuffa LLC via Getty Images

Mais do que os recordes, Anderson Silva deixa como legado o seu estilo único de lutar. Afinal, não é à toa que ele ficou conhecido como Spider (aranha, em inglês). A movimentação, a elasticidade, as esquivas e os golpes plásticos, aliados às suas já esperadas provocações, fazem dele um atleta único no esporte.

Aliás, o UFC deve muito de sua popularidade no Brasil a ele. A comoção em torno de Anderson Silva começou na primeira luta contra Chael Sonnen, em 2010. Apesar de favorito e dono do cinturão, o brasileiro foi dominado ao longo de cinco rounds. A derrota parecia certa. Mas, faltando pouco mais de dois minutos para o fim da luta, Anderson achou a posição para imobilizar o norte-americano com um triângulo. Foi uma vitória épica, mas o melhor ainda estava por vir.

Seu próximo adversário foi outro lutador veterano bastante conhecido no Brasil: Vitor Belfort. O combate aconteceu em fevereiro de 2011 e bateu recorde de audiência de pay-per-view no Brasil. Foi um marco para o UFC, que finalmente se tornava um dos esportes preferidos do público brasileiro. Anderson Silva venceu aquela luta com um golpe histórico e inesquecível chute frontal inspirado no mentor Steven Seagal.

Para Anderson Silva, no entanto, seu legado não está nos recordes ou nos golpes históricos. “Um amigo meu fala que legado não é o que você deixa para as pessoas, é o que você deixa nas pessoas. Acho que eu deixei um legado de amor, carinho e persistência”, avaliou o lutador na coletiva antes de sua última luta no UFC.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes