Como ficam os playoffs da NBA depois do boicote dos jogadores

O mais recente caso de violência policial contra negros nos Estados Unidos motivou um boicote dos jogadores da NBA.

O mais recente caso de violência policial contra negros nos Estados Unidos motivou um boicote dos jogadores da NBA. Pelo menos seis jogos foram adiados, mas os playoffs devem continuar. Nesta quinta-feira (27), os atletas se reuniram em Orlando e decidiram dar sequência à disputa.

A decisão de não entrar em quadra partiu do Milwaukee Bucks, representante o estado de Wisconsin, onde a polícia da cidade de Kenosha disparou sete tiros contra o cidadão negro Jacob Blake. Ele estava desarmado e de costas.

Melhor time da temporada regular da NBA e um dos favoritos ao título, o Milwaukee Bucks entraria em quadra na quarta-feira (26) contra o Orlando Magic. Em caso de vitória, o time poderia fechar a série em 4 a 1 e avançar para as semifinais de conferência. No entanto, em protesto contra o ataque a Jacob Blake, os jogadores decidiram por um boicote.

No vestiário do time em Orlando, na bolha montada no complexo da Disney para dar sequência à liga em meio à pandemia, os jogadores George Hill e Sterling Brown gravaram a leitura de um comunicado em nome dos atletas. “Estamos pedindo justiça para Jacob Blake e exigindo que os oficiais sejam responsabilizados”, diz o texto. Ninguém entrou em quadra, e o jogo foi suspenso.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Boicote na NBA: a reação dos outros times

O boicote histórico do Milwaukee Bucks ganhou respaldo imediato dos demais jogadores da NBA. No mesmo dia, Oklahoma City Thunder e Houston Rockets se enfrentariam, mas aderiram ao boicote. O último jogo da noite, em que o Los Angeles Lakers poderia fechar a série contra o Portland Trail Blazers, também não aconteceu. Toronto Raptors e Boston Celtics também anunciaram que não entrariam em quadra no dia seguinte.

Principal astro da NBA e um dos jogadores mais engajados nos protestos contra o racismo, LeBron James esbravejou no Twitter. “Exigimos mudanças. Estamos cansados disso”, postou. A maioria das estrelas da liga seguiu o mesmo caminho e apoiou o boicote. Posteriormente, os atletas se reuniram na bolha para discutir o futuro dos playoffs.

Continuidade dos playoffs

Segundo o Twitter do repórter Adrian Wojnarowski, da ESPN dos EUA, jogadores da NBA se reuniram na noite de quarta-feira para tentar chegar a um consenso. Os dois times de Los Angeles, Lakers e Clippers, teriam votado pela paralisação da temporada da NBA. A liga chegou a falar em jogos “adiados”, mas LeBron James retrucou. Segundo o jogador, não houve adiamento, mas sim um boicote.

A continuidade dos playoffs continuou sendo discutida ao longo da madrugada. Finalmente, em outra reunião entre os jogadores no dia seguinte, os times decidiram dar continuidade aos playoffs da NBA. No entanto, os jogos de quarta e quinta-feira ainda não têm data para acontecer.

Protestos na NBA

O recomeço da NBA na bolha da Disney foi marcado por protestos. Afinal, havia manifestações em todo o país após a morte de George Floyd. Em todas as quadras, está escrito “Black Lives Matter” (vidas negras importam) em letras gigantes. A mesma mensagem está nas camisas dos jogadores. Muitos deles, aliás, deixaram de colocar os nomes nas costas para estampar palavras como igualdade, liberdade e justiça.

Antes do primeiro jogo da bolha, entre Utah Jazz e New Orleans Pelicans, todas as pessoas que estavam na quadra se ajoelharam durante o hino norte-americano. Jogadores, árbitros e comissão técnica aderiram ao gesto que ficou famoso na NFL. Assim, não surpreende que os jogadores tenham organizado um boicote na NBA depois de mais um caso de violência contra negros.

Informar Erro
Através da Adrian Wojnarowski

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes