Publicado em

A B3 tornou-se a terceira maior bolsa de derivativos do mundo em volume, segundo levantamento do primeiro semestre deste ano realizado pela Futures Industry Association (FIA), associação que reúne as principais bolsas de todo o mundo.

A bolsa brasileira passou a Intercontinental Exchange (ICE) na primeira metade do ano. Conforme o estudo, a B3 é uma das bolsas com maior crescimento no período, com volume total 52,3% maior, para 1,3 bilhão de contratos na comparação com o primeiro semestre de 2017. Já a ICE atingiu 1,27 bilhão de contratos, alta de 15,2%.

“Estamos vivenciando um volume sem precedentes relacionado aos nossos minicontratos”, disse o diretor Internacional e de Desenvolvimento de Mercado da B3, Claudio Jacob, por meio de nota enviada à imprensa./Estadão Conteúdo