Publicado em

SÃO PAULO - A Hemisfério Sul Investimentos (HSI), gestora de fundos de private equity imobiliário no Brasil e a empresa asiática de empreendimentos logísticos Global Logistic Properties (GLP) anunciaram a maior transação do segmento imobiliário logístico e industrial do País.
A HSI vendeu sua plataforma de gestão e desenvolvimento e seus ativos para a GLP por aproximadamente R$ 3 bilhões, com isso a GLP passa a administrar um portfólio de US$ 16 bilhões em propriedades. A transação é uma aquisição de ações com caixa e será concluída até o inicio de dezembro deste ano.
De acordo com o sócio fundador da HSI, Maximo Lima, o desinvestimento segue os planos estratégicos da companhia. "Com essa venda, vamos encerrar um ciclo no segmento e passaremos a focar nossa atuação em outros setores, como shopping centers, loteamentos residenciais e edifícios comerciais".
Os ativos do portfólio da HSI somam 35 empreendimentos, entre condomínios logísticos, centros de distribuição e galpões industriais, espalhados pelo em todo Brasil [24 cidades e 10 estados].
Estratégia
A GLP chega ao Brasil a partir desta aquisição. Segundo o chairman do comitê executivo e co-fundador da GLP, Jeffrey Schwartz, esta transação representa uma oportunidade única para a companhia. "Ela é consistente com nossa estratégia de focar nos melhores mercados e crescer a nossa plataforma de gestão de fundos."
A GLP estabelecerá dois fundos de investimentos em participações, um para os ativos estabilizados e outro para os empreendimentos em desenvolvimento. Segundo a empresa, nos dois fundos, cerca de 90% dos ativos estão localizados em São Paulo e no Rio de Janeiro.
O diretor-presidente da GLP no Brasil, Scott Pryce, complementou que a empresa está pesquisando de perto este setor no Brasil há mais de quatro anos. "Decidimos que esse é o momento e esta era a transação para entrarmos neste mercado, estabelecendo assim nossa liderança imediata."
O fundo de investimento imobiliário Agências Caixa estreou na última semana no pregão da BM&FBovespa, com forte alta nas primeiras negociações. Na sexta-feira, as cotas eram negociadas com valorização de 10%, a R$ 1.100. O volume financeiro era de R$ 50.200, em três negócios.
Na oferta pública primária, o fundo captou R$ 405 milhões. Com este montante, está prevista a aquisição de 26 imóveis de propriedade da Caixa, que representarão cerca de 40% do seu patrimônio. O restante dos recursos será investido em ativos financeiros, como títulos públicos, LCI e operações compromissadas, até que novos imóveis sejam adquiridos.