Educação financeira nas escolas: por que é tão importante?

Ensinar crianças e jovens a lidar melhor com dinheiro é desafio importante para a formação de adultos com mais consciência financeira

Além da obrigatoriedade de inserção de educação financeira nas novas normas da Base Nacional Comum Curricular, também há projetos voluntários que trabalham com o tema.

O aprendizado da educação financeira é ferramenta essencial para formar cidadãos que sabem lidar bem com dinheiro. Não é à toa que as novas normas da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) colocaram o tema como obrigatório na grade escolar do País. 

Na BNCC está previsto o currículo mínimo a ser ensinado nas escolas. Ele vale da educação infantil até o ensino médio. Antes de mais nada, a ideia, que passou a ser colocada obrigatoriamente em prática neste ano, é que a educação financeira deve ser abordada de maneira transversal, nas diferentes aulas e projetos dos colégios.

Mas por que a educação financeira nas escolas é tão importante? Basta pensar que boa parte dos brasileiros adultos enfrentam questões como endividamento e inadimplência. Elas são causadas principalmente pela falta de conhecimento sobre gestão financeira. Ou seja, os brasileiros em geral não sabem lidar bem com dinheiro porque nunca aprenderam a fazer isso.

Dessa forma, começar a ensinar o tema nas escolas é uma forma de melhorar o cenário na base. “Há quem pense que as crianças não têm discernimento para lidar com as finanças. Porém notamos que com 4,5 ou 6 anos elas já reconhecem o dinheiro como um meio para realizar sonhos”, explica o especialista em educação financeira Reinaldo Domingos. 

 

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Resultados do ensino são evidentes

 

Da mesma forma, existem algumas pesquisas que mostram os resultados do ensino da educação financeira nas escolas. Uma delas é da AEF-Brasil em parceria com o Serasa Consumidor e Serasa Experian. 

Dentre os resultados, está o fato de um a cada três estudantes afirmar a importância de ter aprendido a poupar após participar de projetos de educação financeira. Da mesma forma, 24% começaram a falar sobre o tema em casa e 21% aprenderam a usar melhor o dinheiro.

Além disso, de acordo com a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), há evidência que, em vários casos, os problemas de dívidas têm causas mais relacionadas à falta de educação financeira do que à falta de renda.

Outro exemplo é um programa-piloto de educação financeira da Enef. Ele foi feito em parceria com o Ministério da Educação (MEC) e secretarias de educação de diferentes municípios e estados. A implantação aconteceu entre 2010 e 2011 e houve participação de 25 mil estudantes do 2º e 3º anos do ensino médio. Metade deles recebeu as aulas e metade não. 

Alguns anos depois, em 2018, a Enef verificou o impacto das aulas no comportamento dos estudantes e observou aumento significativo na proficiência financeira dos alunos que receberam as aulas.

aprender educação financeira nas escolas
Imagem: Reprodução / Unsplash

Multiplicando Sonhos leva educação financeira para as escolas

 

Finalmente, é importante dizer que há projetos voluntários que atuam na área. Um deles é o Multiplicando Sonhos, fundado por Evandro Mello Farias.

“Através da disseminação do conhecimento em educação financeira, a gente espera que esse jovem possa tomar decisões mais conscientes em relação à utilização do dinheiro”, explica. Em 2019, o projeto realizou um piloto com 178 alunos no colégio Dom Pedro, na Zona Leste de São Paulo.

No momento atual, o objeto do Multiplicando Sonhos é entender melhor as demandas dos jovens e reestruturar o projeto para que as aulas presenciais também possam se dar eventualmente em ambiente virtual. 

“É essencial levar educação financeira para as escolas públicas, pois é assim que os jovens aprenderão a utilizar o dinheiro de forma mais consciente. A pandemia, inclusive, veio para nos mostrar que de fato precisamos nos preparar para imprevistos e emergências. Outro ponto é que falar em educação financeira é falar em mudança de comportamento para que se façam escolhas mais sustentáveis e conscientes para o mundo”. 

 

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes