Família Rockefeller: conheça a história do clã e as polêmicas mais curiosas

Descubra a história da tradicional família Rockefeller, que reuniu a sua fortuna a partir da exploração de petróleo no final do século XIX.

A família Rockefeller não é só famosa em Nova York. Pelo contrário, esse nome já foi um dos mais poderosos dos Estados Unidos e John, o patriarca da família, foi o primeiro milionário do país norte-americano, ao ponto de acumular mais de 1% da riqueza  do país.

 

História da família Rockefeller

Companhia Standard Oil
Imagem: Reprodução / Miss Hits Ville

 

Quem deu o pontapé na riqueza dos Rockefeller foi o senhor John D. ao comprar parte de uma refinaria de petróleo, em 1863.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Então, em 1870, John criou a Standard Oil, que viria a ser uma das maiores companhias de petróleo do mundo. A empresa cresceu com a aquisição de outras refinarias ao ponto que nos anos 1880 a Standard Oil controlaria 90% das refinarias e gasodutos norte-americanas.

Isso, aliás, seria questionado por uma lei antitruste dos anos 1890, que restringia o controle do mercado por uma empresa só. O caso dos Rockefeller é que eles não só possuíam as petrolíferas, como também tinham acordos para o transporte do combustível, sendo praticamente impossível competir com a empresa em solo americano.

Porém, a lei só durou dois anos e o império dos Rockefeller, por sua vez, não parava de crescer. No meio dos anos 1890, John D. Rockefeller, entretanto, aposentou-se das tarefas diárias da companhia. Contudo, o estrelato da família não carrega o nome de um só homem.

Seu filho, John D. Rockefeller é notório pelo dinheiro que doou a caridade. A família Rockefeller, no geral, apoiou muitos centros de conhecimento importantes no Estados Unidos, como o Museu de Arte Moderna e o The Met (Metropolitan Museum of Art). Os dois ficam em Nova Iorque.

Ademais, a família também doou dinheiro para universidades como Yale, Harvard e Columbia, além de ter criado um centro de estudos para a medicina, conhecido atualmente como Rockefeller University.

Por fim, outra menção importante vai para Nelson Rockefeller, neto de John, que foi governador de Nova Iorque e vice-presidente dos Estados Unidos no governo de Gerald Ford.

 

Polêmicas dos Rockefeler, os magnatas norte-americanos

John D. Rockefeller primeiro da família Rockefeller que foi rico
John D. Rockefeller Imagem: Reprodução / Shutterstock

 

Não é só nas vitórias da Mega-Sena que o dinheiro chama a atenção. Pelo contrário, os self-made billionaires, que são as pessoas que constroem as suas riquezas, também atraem muitos olhares.

O patriarca John foi sortudo. Ele teve uma morte tranquila aos 97 anos numa propriedade da família Rockefeller na Flórida. Entretanto, o mesmo não aconteceu com outros membros da família.

 

Mortes misteriosas

Richard Rockefeller, por exemplo, bisneto de John, faleceu numa queda de avião em 2014 que levanta suspeitas. O mesmo mistério gira em torno de outro bisneto do progenitor, Michael Rockefeller, que faleceu aos 23 anos numa viagem a Nova Guiné. A suspeita é que ele morreu na mão de canibais, porém a família nega essa versão.

Nelson Rockefeller, por sua vez, que é pai de Michael, também teve uma morte polêmica. O vice-presidente dos Estados Unidos faleceu devido a um ataque no coração, ao lado de Megan Marshack.

Ela tinha 25 anos na época e era assistente do político, além de amante, segundo os rumores. O curioso sobre esse caso é que a mulher demorou quase uma hora para pedir socorro.

 

Falso herdeiro

Por fim, outra polêmica da família Rockefeller é a do falso herdeiro. Christian Gerhartstreiter, conhecido como Fake-Feller, é um alemão que se passou por um membro do clã do petróleo nos anos 70. O estrangeiro fez seu nome como Clark Rockefeller e trabalhou no mundo das finanças, além de se casar com uma executiva sênior de uma empresa de consultoria.

O disfarce, enfim, só caiu quando Clark sequestrou sua ex-esposa e sua filha. Foi então que o FBI investigou a vida do Fake-Feller e conheceu a sua origem. Atualmente, o farsante cumpre pena de 27 anos de prisão. Porém, o tempo de cela se deve a um assassinato que Christian cometeu antes mesmo da dupla identidade.

Fonte El País Aventuras na História

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes