Atlético Mineiro anuncia leilão de NFT e parceria com Sorare

Clube é o primeiro no Brasil e na América Latina a aderir ao mercado de tokens não fungíveis

O Atlético Mineiro anunciou sua entrada no mercado de NFT (tokens não fungíveis) se tornando o primeiro time de futebol brasileiro (e da América do Sul) a aderir à novidade. E a entrada no mercado já chega com duas opções. A primeira é o leilão de um quadro digital que retrata a defesa que o goleiro Victor fez contra o Tijuana, nas quartas de final da Libertadores em 2013, considerada fundamental para a conquista do torneio naquele ano. 

O quadro, que recebeu o nome de “2013 – São Victor”, é do artista Pedro Nuin e o leilão será realizado na plataforma opensea.io. em parceria com a empresa Footcoin.us, de Nova Iorque, a partir da próxima segunda-feira, 10, com arremate programado para o dia 30, quando se completam oito anos da milagrosa defesa.

Além da obra única e exclusiva, quem arrematar o leilão também leva um vídeo em time-lapse com o processo criativo do artista. 

“Por este ângulo, quis dar a impressão ao torcedor de que ele estava ao lado do Victor, dentro do gramado. É como se ele voltasse no tempo e colocasse uma cadeira na pequena área para sentar e observar o milagre de pertinho”, comentou Nuin. 

O gerente de inovação do Atlético Mineiro explicou por que o time decidiu investir em NFT: “Todo ativo, digital ou físico, pode ter uma representação digital. Por que comprariam algo que podem achar na internet? Porque simplesmente estão comprando algo original, autenticado e único. A figura da Mona Lisa, por exemplo, você pode baixar a imagem, pode comprar uma réplica, mas o quadro original está no Louvre e detém o verdadeiro valor. É a mesma lógica. Levar autenticidade e valor para ativos digitais”.

“O Atlético quer diversificar suas fontes de receita e, para isso, está de olho nas principais novidades tecnológicas existentes no mundo. É uma oportunidade de oferecer a colecionadores do planeta uma obra digital, feita com exclusividade”, completou o  CEO do Atlético, Plínio Signorini.

Sorare

Outra novidade anunciada pelo Galo de Minas Gerais foi a parceria com a Sorare, plataforma de um fantasy game (similar ao Cartola) que também conta com cards colecionáveis em NFT, já tendo mais de 140 times incluídos, entre eles, os grandes da Europa.

“Estamos construindo uma experiência de jogo alimentada pela paixão, onde os fãs podem se conectar com o futebol e a uma comunidade global. Na Sorare, eles podem realmente ser donos do jogo. Estamos orgulhosos de lançar no Brasil com o lendário Clube Atlético Mineiro e tê-los na Sorare para permitir que fãs de todo o mundo se conectem com seus jogadores nos próximos anos. Ficamos muito impressionados com o crescimento da comunidade brasileira de fãs na Sorare”, disse o CEO da Sorare, Nicolas Julia.

“Somos o primeiro clube brasileiro a aderir à plataforma da Sorare, o que apenas confirma nossa veia inovadora“, finaliza Signorini.

Com cerca de 130 mil usuários ativos, a Sorare movimentou mais de 28 milhões de dólares apenas em março deste ano. Em fevereiro, a empresa captou 50 milhões de dólares em uma rodada de investimentos.

Você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.