China estuda reprimir mineração de Bitcoin, indica documento

Governo divulgou decisão após reunião, nesta sexta-feira, do Comitê de Estabilidade Financeira e Desenvolvimento

O Conselho de Estado da China, em reunião do Comitê de Estabilidade Financeira e Desenvolvimento, realizada nesta sexta-feira, 21, decidiu proibir a mineração de bitcoin nas principais operações do sistema financeiro, informou o governo chinês, por meio de nota. As instituições financeiras estão proibidas de operar com  criptomoedas desde 2013, proibição que ganhou reforço em 2017 e agora na última semana, embora o governo não proíba que chineses possuam criptomoedas e também não interfere na indústria de mineração. A reunião foi presidida por Liu He, membro do Bureau Político do Comitê Central do Partido Comunista da China e Vice-Premier do Conselho de Estado e Diretor do Comitê Financeiro.

O documento divulgado nesta sexta-feira aponta que o Conselho de Estado considerou que o sistema financeiro do país implementou as decisões e mobilizações do Comitê, aumentou o apoio à economia real, classificando a política monetária como prudente, flexível e adequada. “As políticas de crédito adaptaram-se com precisão às necessidades das entidades do mercado, a liquidez permaneceu razoável e suficiente, os serviços financeiros melhoraram e os serviços financeiros de apoio à prevenção e controle de epidemias e ao desenvolvimento econômico e social obtiveram resultados óbvios”.

O documento segue citando que “é necessário usar de forma abrangente uma variedade de ferramentas de política monetária para manter uma liquidez razoável e suficiente, prevenir e neutralizar riscos financeiros de forma eficaz e promover um ciclo econômico e financeiro virtuoso”. O comitê pontuou três principais  ações para implementar essas ferramentas:  servir ainda mais a economia real, prevenir e controlar com firmeza os riscos financeiros e continuar a aprofundar a reforma e a abertura.

Documento fala em possíveis riscos do Bitcoin

O bitcoin aparece citado nominalmente no segundo item, em trecho que diz: “reprimir a mineração de bitcoin e comportamento comercial, e prevenir resolutamente a transmissão dos riscos individuais para o campo social”. O item ainda segue falando sobre atividades legalizadas: “Manter o bom funcionamento dos mercados de ações, títulos e câmbio,
reprimir severamente as atividades ilegais de valores mobiliários e punir severamente as atividades financeiras ilegais”.

Se o país implementar alguma proibição na mineração de criptomoedas, a medida teria enorme influência no mercado de criptoativos, ainda mais em um momento em que o bitcoin e as demais criptomoedas enfrentam forte desvalorização. Segundo o jornalista chinês Wu Blockchain, essa é a primeira vez que o nível mais alto da burocracia chinesa propõe claramente alguma ação contra a mineração de criptomoedas, nesse sentido.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes