Exchange de Bitcoin ou corretoras? Entenda a diferença para investir

As exchanges de Bitcoin e criptomoedas cresceram em volume e número de usuários, porém muitos desconhecem o termo. Acompanhe as diferenças entre as exchanges e as corretoras tradicionais da bolsa de valores.

Nos últimos três anos as exchanges de Bitcoin e criptomoedas ganharam popularidade no Brasil, com a líder Mercado Bitcoin atingindo a impressionante marca de dois milhões de clientes. No entanto, fica a dúvida quanto às diferenças entre as exchanges e as corretoras tradicionais da bolsa de valores.

Afinal, porque o Bitcoin e criptomoedas são negociados em plataformas distintas? Por que existem cotações diferentes? Como é no resto do mundo? 

O que é exchange de Bitcoin?

notebook com tela de trade em exchange de bitcoin, ao lado de um copo de café, iphone e phone de ouvido

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Exchange em inglês significa trocar, e usualmente é utilizado para denominar as Casas de Câmbio de Dólares, Euros e demais divisas internacionais. O termo tornou-se popular no mercado de criptomoedas, e assim ficaram conhecidas as corretoras de Bitcoin no Brasil.

Primeiramente, é necessário entender que toda a negociação em criptomoedas precisa de um comprador e um vendedor. Se você pretende comprar Bitcoin, leia-se, converter os seus Reais (R$) por criptomoedas, do outro lado é necessário existir algum cliente fazendo o oposto.

Em suma, as exchanges são empresas que atuam de forma semelhante às corretoras tradicionais de bolsas de valores. Nesse aspecto, atuam na intermediação dos trades entre clientes.

Qual a diferença entre exchange e corretora?

As exchanges se assemelham às bolsas de valores, pois cada uma possui a sua própria oferta de criptoativos. Além disto, mudam os bancos conveniados, taxas, prazos, além dos próprios clientes. Isto faz com que as cotações da mesma criptomoeda seja diferente em cada exchange.

Em contraste, as corretoras tradicionais atuam como intermediárias da bolsa de valores. A lista de ações, fundos listados, e derivativos é a mesma em todas as corretoras. Desta forma, a bolsa de valores tradicional é um ambiente de negociações único, refletindo a mesma cotação para todas as corretoras.

Por outro lado, as exchanges e corretoras tradicionais se assemelham no assunto de livro de ofertas, além da cobrança de taxa de corretagem. Do mesmo modo, existe a necessidade de realizar o envio de dinheiro antes de realizar a compra.

No vídeo abaixo a equipe do Mercado Bitcoin explica as diferenças entre ações e criptos.

Como funciona uma exchange?

Os clientes precisam realizar um registro na exchange de Bitcoin, através de um processo conhecido como KYC. Neste caso, usualmente é necessário enviar uma foto do documento de identificação, CPF, e mais alguns dados.

Um livro de ofertas é formado com os níveis de preço determinados por compradores e vendedores. O cliente que desejar comprar Bitcoin precisa antes enviar o dinheiro para a conta-corrente da exchange, esta empresa de intermediação.

De maneira análoga, o vendedor precisa ter as suas criptomoedas depositadas em um endereço (carteira digital) da exchange. Desta forma, ambos os lados ganham a segurança de um intermediário sólido, responsável por verificar a procedência dos valores. Além disso, a exchange de Bitcoin dá tranquilidade para ambos no ato da liquidação, a entrega dos valores.

Qual a exchange mais confiável?

O Mercado Bitcoin é a exchange mais antiga em funcionamento no Brasil, considerada uma das 25 mais transparentes do mundo pelo ranking Blockchain Transparency Institute – BTI. Deste modo, atualmente conta com mais de 120 profissionais, além de ser associada à ABCripto – Associação Brasileira de Criptoeconomia.

Conforme matéria do Jornal DCI, o Bitcoin e as criptomoedas não possuem uma regulação específica no Brasil. No entanto, é completamente legal realizar a compra, venda e intermediação de criptoativos.

Nesse sentido, o setor ganhou um código de cadastro no IBGE, passando a ter o devido reconhecimento para fins de registro em bancos e órgãos do governo. Além disso, a ABCripto lançou o seu código de autorregulação, estabelecendo regras que ajudam na padronização das práticas de Conduta e de Prevenção à Lavagem de Dinheiro.

As exchanges de Bitcoin nos demais países

De maneira geral, o Bitcoin e as criptomoedas não são considerados valores mobiliários. Portanto, são mais próximos das milhas aéreas e demais bens digitais. Por conseguinte, a negociação de criptoativos ocorre em exchanges segregadas aos mercados tradicionais.

Ainda que tenha a sua negociação segregada, já existem diversos fundos de investimento, gestoras profissionais e empresas realizando investimentos diretamente em criptomoedas. Um caso público recente foi a aquisição de 250 milhões de Dólares em Bitcoin por parte da MicroStrategy, empresa listada na Nasdaq.

Informar Erro
Siga-nos no 

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes