Quem tem dinheiro na poupança está perdendo; veja por quê

Com a alta da inflação, que apenas em maio foi a 0,83%, caderneta não consegue repor perdas

A caderneta de poupança vem levando uma surra da inflação, e o investidor está perdendo dinheiro. Tida como uma das aplicações mais populares do País, o atual critério de remuneração da poupança não permite, no entanto, que ela proteja o dinheiro do investidor dos efeitos danosos da inflação.  Em maio, a inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), considerada a inflação oficial do país, ficou em 0,83%, enquanto a caderneta rendeu apenas 0,16%. O prejuízo do investidor, apenas no mês passado, foi de 0,67%.

Para que o dinheiro aplicado na poupança pudesse continuar comprando as mesmas coisas ao longo de maio, o rendimento da poupança deveria ter sido de, pelo menos, 0,83%. Em outras palavras,  o dinheiro que permanece na caderneta vai perdendo seu poder de compra e o patrimônio do aplicador vai sendo dilapidado.

Poupança perde mais em 12 meses

Se considerarmos um período de 12 meses, o prejuízo  é bem maior, de 6%, segundo cálculos da Economatica, plataforma de informações financeiras. Uma perda desse tamanho só foi registrada há 29 anos, em  outubro de 1991, de 9,72%.

Os números jogam contra  a poupança: em maio de 2021 houve a nona perda consecutiva do rendimento para a inflação, ou seja, desde setembro que o dinheiro do aplicador vem recebendo ganhos abaixo da inflação, ganhos negativos. A maior sequência de meses em queda de poder aquisitivo, dentro da amostra considerada pela Economatica, aconteceu entre fevereiro de 2015 e setembro de 2016, com 20 meses de perdas consecutivas.

Cálculo do rendimento da poupança

Sempre que a taxa de juro básica da economia, a Selic, for igual ou inferior a 8,5% ao ano, o rendimento da poupança será equivalente a 70% dela. A Selic está atualmente em 3,75% ao ano, portanto, é essa regra que está em vigor. Como a própria Selic vem correndo em níveis inferiores à inflação, fica claro por que a caderneta não consegue pagar um rendimento melhor ao investidor.

Na próxima semana, o Comitê de Política Monetária se reúne para definir a nova taxa básica da economia, sendo que já foi sinalizada uma nova alta para a Selic de 0,75 ponto porcentual, o que levaria a taxa para 4,25% ao ano. Com isso, o rendimento da caderneta subiria para 2,98% ao ano, ou 0,24% ao mês.  Desempenho que está bem longe de blindar o investidor diante de uma inflação estimada entre 6% e 7% para este ano.

Segundo a analista de Renda Fixa da XP Investimentos Camila Dolle, às vezes, por medo, comodismo, ou até desconhecimento, o investidor acaba ficando na caderneta. “Mais do que ir em busca de rentabilidade, esse investidor precisa sair para conhecer outras opções mais interessantes do mercado”, afirma  ela.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes