Bolsonaro afirma que forças armadas decidem se país vive na democracia

Em uma conversa com seus apoiadores o presidente alegou que os militares são responsáveis por decretar ou não uma ditadura dentro do Brasil.

Na segunda-feira (18), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) fez uma declaração polemica envolvendo as forças armadas. O parlamentar afirmou que quem decide se haverá democracia em um país são os militares. Bolsonaro ainda afirmou hoje o Brasil tem liberdade, mas que tudo pode mudar se a população não reconhecer o papel das forças armadas. A conversa com apoiadores foi publicada, em um vídeo com cortes, em um canal bolsonarista na internet.

Bolsonaro e as forças armadas

O discurso do presidente aconteceu ontem de manhã no Palácio da Alvorada. Bolsonaro criticou o socialismo e afirmou que as forças armadas definem se há democracia ou ditadura no país.

“Por que sucatearam as Forças Armadas ao longo de 20 anos? Porque nós, militares, somos o último obstáculo para o socialismo. Quem decide se um povo vai viver na democracia ou na ditadura são as suas Forças Armadas. Não tem ditadura onde as Forças Armadas não apoiam. No Brasil, temos liberdade ainda. Se nós não reconhecermos o valor destes homens e mulheres que estão lá, tudo pode mudar”, declarou.

Nicolás Maduro

Em meio à conversa Bolsonaro também ironizou o fato de que o Nicolás Maduro está doando cilindros de oxigênio para Manaus.

Leia também

Veja fotos da nova mansão de Flávio Bolsonaro, de R$ 6…

Saída da Sony do Brasil: quais produtos não serão vendidos?

“Agora, se o Maduro quiser fornecer oxigênio para nós, vamos receber, sem problema nenhum. Agora, ele poderia dar auxílio emergencial para o seu povo também, né? O salário mínimo lá não compra meio quilo de arroz. Não tem mais cachorro lá, por que será? Alguma peste? Comeram os cachorros todos. Comeram os gastos todos. E vem uns idiotas, eu vejo aí, elogiando ‘olha o Maduro, que coração grande ele tem’. Realmente, daquele tamanho, 200 quilos, dois metros de altura, o coração dele deve ser muito grande. Nada mais além disso.”, afirmou.

Críticas a Fernando Haddad

- PUBLICIDADE -

Bolsonaro questionou em que lugar as forças armadas estariam caso Fernando Haddad do PT tivesse sido eleito. Haddad o respondeu por meio de suas redes sociais afirmando que “estariam sendo prestigiadas em seu devido lugar”.

Bolsonaro ainda levantou hipóteses de quem seria o ministro da Defesa no governo de Haddad. Ele citou três nomes, de forma pejorativa: o fundador do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), João Pedro Stédile, o ex-líder do movimento José Rainha, e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes