Bolsonaro e Michelle inauguram exposição com trajes usados na posse

O presidente Bolsonaro e Michelle, a primeira-dama, se reuniram no Palácio do Planalto. Solenidade contou com a presença de ministros do Estado, do alfaiate e estilista do traje

Na tarde desta segunda-feira (07), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e a primeira-dama Michelle Bolsonaro participaram de solenidade no Palácio do Planalto para expor as roupas usadas por eles durante a cerimônia de posse presidencial em 1° de janeiro de 2019. A agenda, de última hora, foi realizada às 17 horas e transmitida ao vivo pela TV Brasil, emissora pública do governo federal.

Dia memorável – Bolsonaro e Michelle

Durante solenidade que perdurou 10 minutos, Bolsonaro e Michelle descerraram a faixa verde-amarela que daria como inaugurada a exposição de trajes que, segundo o presidente, ‘marcou história’. A filha do casal, Laura, de 10 anos, também participou do ato.

O casal Bolsonaro e Michelle utilizaram o espaço para enaltecer o trabalho dos profissionais que confeccionaram as roupas utilizadas na posse presidencial, o alfaiate Santino Gonçalves, a estilista Marie Lafayette, e a costureira que confeccionou o vestido, Larissa Silva.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

O clima era de celebração, com dezenas de convidados, entre eles ministros de Estado, aglomerados diante das peças. Bolsonaro e Michelle então passaram a falar sobre o “dia memorável” e a história dos trajes. Bolsonaro fez questão de fazer propaganda para o alfaiate que confeccionou sua roupa gratuitamente, divulgando até o endereço do seu novo ateliê em Brasília.

Bolsonaro e Michelle
Foto: Agência Brasil

Vitrine iluminada

O terno preto do presidente Bolsonaro e o vestido rosa da primeira-dama, Michelle Bolsonaro, foram colocados à mostra em vitrines no térreo do Palácio do Planalto. Após a fala da primeira-dama, luzes de LED iluminaram os trajes dentro da vitrine.

Michelle disse que o lançamento das vitrines era ‘um momento de muita alegria’ e lembrou da visibilidade da comunidade surda que, segundo ela, foi esquecida por décadas. “Um dia memorável para a nação, aonde foi confeccionado um vestido, talvez um simples vestido, mas que hoje tem um simbolismo muito grande, que acabou trazendo visibilidade para a nossa comunidade surda, que por décadas foi esquecida”, declarou a primeira-dama, em referência ao discurso que fez em Libras, a Língua Brasileira de Sinais, no dia da posse presidencial.

Já Bolsonaro contou a história de quando conheceu o alfaiate e como foi feita a aquisição do terno. “Ele queria fazer um terno pra mim e eu dispensei, porque falei: “o meu número é 500, 500 reais, acima disso não é meu número” [Risos]. Ele falou: “vou fazer de graça”. “Ué, quer fazer de graça, então, de graça até injeção marciana, então vamos aceitar esse terno”, disse o presidente.

A exposição criada por Bolsonaro e Michelle permanecerá aberta a visitação por tempo indeterminado.

Estiveram presentes na solenidade os ministros: Ernesto Araújo, das Relações Exteriores, Braga Netto, da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos, da Secretaria do Governo, Marcelo Álvaro Antônio, do Turismo, Jorge Oliveira, da Secretaria-Geral e Onyx Lorenzoni, ministro da Cidadania. Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal (CEF), também marcou presença no evento.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes