Lula e FHC rebatem ironia de Bolsonaro e saem em defesa de Dilma

Bolsonaro ironizou a tortura sofrida pela ex-presidente Dilma durante a Ditadura; Lula e FHC demonstraram apoio à petista nas redes

Na manhã desta segunda-feira (28), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ironizou a tortura sofrida pela ex-presidente Dilma Roussef no período em que ela foi presa, em 1970, durante a Ditadura Militar. No mesmo dia, o ex-presidente Lula (PT) rebateu a ironia e  disse que o Brasil perde sua “humanidade” em cada declaração do atual chefe do Executivo.

Bolsonaro é um homem sem valor, diz Lula

Lula e FHC rebatem ironia de Bolsonaro contra tortura sofrida por Dilma
(Foto: Reprodução/Twitter)

Para Lula, Bolsonaro é um “homem sem valor” que jamais conhecerá a coragem de Dilma. “O Brasil perde um pouco de sua humanidade a cada vez que Jair Bolsonaro abre a boca. Minha solidariedade à presidente Dilma Rousseff, mulher detentora de uma coragem que Bolsonaro, um homem sem valor, jamais conhecerá”, declarou Lula em sua conta no Twitter.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Lula e FHC rebatem ironia de Bolsonaro contra tortura sofrida por Dilma
(Foto: Reprodução/Twitter)

Também no Twitter, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) demonstrou apoio à ex-presidente Dilma, após provocação de Bolsonaro. Ele afirmou que “brincar com tortura é inaceitável. “Minha solidariedade à ex Presidente Dilma Rousseff. Brincar com a tortura dela — ou de qualquer pessoa — é inaceitável. Concorde-se ou não com as atitudes políticas das vítimas. Passa dos limites”, disse FHC.

A apoiadores, Bolsonaro cobrou que lhe mostrassem um raio X da adversária política para provar uma fratura na mandíbula. “Dizem que a Dilma foi torturada e fraturaram a mandíbula dela. Traz o raio-X para a gente ver o calo ósseo. Olha que eu não sou médico, mas até hoje estou aguardando o raio-X”, afirmou.

Insensível e fascista

A ex-presidente Dilma rebateu a mensagem dizendo que o presidente é insensível e que é triste ver que o ocupante do Palácio do Planalto se comportando como um fascista.

“A cada manifestação pública como esta, Bolsonaro se revela exatamente como é: um indivíduo que não sente qualquer empatia por seres humanos, a não ser aqueles que utiliza para seus propósitos. Bolsonaro não respeita a vida, é defensor da tortura e dos torturadores, é insensível diante da morte e da doença, como tem demonstrado em face dos quase 200 mil mortos causados pela Covid-19 que, aliás, se recusa a combater. A visão de mundo fascista está evidente na celebração da violência, na defesa da ditadura militar e da destruição dos que a ela se opuseram”, relatou Dilma em nota.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes